“Dá para votar”, diz Ibaneis a distritais sobre pacote emergencial

Governador passou o dia tratando do tema e busca, a todo custo, aprovar projetos na próxima semana. Deputados estão resistentes

Renato Alves/GDFRenato Alves/GDF

atualizado 16/01/2019 9:25

O governador Ibaneis Rocha (MDB) fará, nesta quarta-feira (16/1), mais uma investida para que os deputados distritais atendam ao chamado para a autoconvocação extraordinária. Embora tenha criado uma base sólida, o chefe do Executivo encontra resistência dos integrantes da Câmara Legislativa (CLDF) em interromper o recesso parlamentar para votar o denominado pacote emergencial do Palácio do Buriti.

“Tenho um encontro com os deputados da base e depois vou me reunir com todos e sentir a temperatura da Câmara, para ver se eles estão dispostos a enfrentar”, disse o emedebista, nesta terça (15), após a solenidade de sanção da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos), no Palácio do Buriti. “Eu entendo que, se eles quiserem, dá para votar. Os projetos estarão lá amanhã [quarta-feira] e as equipes de governo estarão à disposição, mas são eles que decidem, não eu”, completou.

No pacote de projetos, estão a criação de estruturas como as administrações regionais do Pôr do Sol e Sol Nascente, de Arapoanga e de Arniqueiras; a expansão do modelo de gestão do Instituto Hospital de Base (IHBDF) para outras unidades; a redução da alíquota de impostos, como o IPVA e ICMS; e a renegociação de dívidas, prevista no programa Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania/Fiscal (Cejusc/Fiscal). “O que me compete é encaminhar os projetos e a eles. Queria que os deputados tivessem carinho e sensibilidade para ver que são importantes”, reforçou Ibaneis.

Aliados do emedebista calculam que 11 deputados, dos 18 declaradamente governistas, aceitariam atender prontamente o primeiro pedido público do governador. Por isso, Ibaneis tem investido numa aproximação com a Casa a fim de garantir maioria mais folgada para aprovar as medidas.

Segundo alguns distritais, o fim do recesso está próximo – 2 de fevereiro – e isso derrubaria a necessidade de uma convocação às pressas. Muitos sustentam que o governo pode esperar as duas semanas que faltam para a retomada das sessões deliberativas.

Ibaneis, contudo, tem pressa. Ele escalou seu time de articulação política para procurar cada distrital com o fito de convencer sobre a urgência da pauta. Na reunião de quarta, o gestor do GDF deverá afagar os eleitos com o discurso de resgatar o que o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) deixou para a cidade. Na manhã desta terça (15), chegou a cancelar agenda pública do lançamento da Campus Party para se reunir com aliados.

Sem ônus
Presidente da Câmara Legislativa, o distrital Rafael Prudente (MDB) demonstrou que tentará convencer os colegas da Casa a responderem de forma positiva ao chamado do chefe do Executivo. Nos bastidores, contudo, ele não forçará nenhum deputado a concordar com a ideia do governador.

De temperamento sereno, o comandante do Legislativo se comprometeu a fazer a autoconvocação – sem ônus, portanto, para os cofres públicos – apenas se o governo conseguir maioria dos colegas.

Com isso, Prudente demonstra que, embora seja correligionário de Ibaneis, pretende respeitar a vontade da Casa. “Teremos uma Câmara Legislativa ativa para atender os anseios da sociedade”, garantiu o deputado durante o evento no Palácio do Buriti nesta terça.

Últimas notícias