“Ou não sabe fazer conta ou age de má-fé”, diz Rosso sobre Rollemberg

O deputado federal criticou afirmação do governador de que seriam necessários R$ 4 bilhões para dar reajustes a servidores públicos do DF

atualizado 04/09/2018 13:49

Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Ao abordar o tema de reajuste salarial a servidores públicos, o deputado federal Rogério Rosso (PSD) disse, nesta terça-feira (4/9), que o governador do Distrito Federal “inventa números para justificar a incompetência dele”. “Ou não sabe fazer conta ou age de má-fé”, atacou, referindo-se ao valor de R$ 4 bilhões que o socialista disse ser preciso para atender reivindicação dos policiais civis e dar a terceira parcela do aumento a 32 categorias locais.

Uma das promessas do candidato do PSD ao Palácio do Buriti para os primeiros dias de governo é a equiparação dos salários das polícias Civil e Federal. De acordo com o pessedista, a medida será tema de carta ao Governo Federal, que precisa garantir a ampliação dos recursos no Fundo Constitucional do DF.

Rosso esteve nesta manhã com representantes da Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco). O candidato disse que vai apostar na geração de oportunidades na região do Entorno do DF. “Mais de 200 mil pessoas saem de lá para trabalhar em Brasília. Se você gera emprego nessas cidades, libera vagas aqui. Existem recursos no Ministério da Integração e das Cidades que não são utilizados”, afirmou.

No encontro, o deputado federal do PSD destacou a importância de criar condições econômicas para o desenvolvimento das pequenas empresas na capital federal, como a oferta de financiamentos e a desburocratização dos serviços públicos. “Hoje, para que o empresário tenha uma licença, demora anos, e ele acaba se desestimulando”, frisou.

Turismo
Questionado acerca da escassez de turismo em Brasília, o parlamentar disse que falta conhecimento e divulgação dos pontos turísticos da capital da República. “Viajei para Washington recentemente e me hospedei em um hotel simples, mas que estava lotado. Descobri que o governo americano incentiva financeiramente os estudantes a visitarem a cidade. Podemos pensar num projeto dessa forma ou talvez criar uma agência de turismo”, propôs.

O candidato à reeleição ao Senado Federal Cristovam Buarque (PPS) e o estreante na disputa Fernando Marques (Solidariedade) também estiveram no encontro.

Mais lidas
Últimas notícias