Rollemberg: “A Polícia Civil é magoada comigo porque não dei aumento”

Declaração foi dada após sabatina promovida por associação de oficiais da PM e dos bombeiros nesta segunda (27/8)

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 27/08/2018 22:13

Em sabatina promovida pelos oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros na noite desta segunda (27/8), Rodrigo Rollemberg (PSB) afirmou que, no próximo governo, se reeleito, quer ser reconhecido como “o governador que fez o melhor plano de cargos e salários para a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil [PCDF]”.

No evento, Rollemberg creditou às crises econômicas e políticas os problemas enfrentados no início da atual gestão, mas assegurou que fará “melhorias históricas” para servidores das forças de segurança. “O mesmo reajuste dado a uma corporação deve ser concedido às demais”, disse.

O governador comentou a crise do GDF com a PCDF. “A Polícia Civil é magoada comigo porque não dei aumento, mas digo aqui: nenhum governador daria. Eram 37% ou R$ 696 milhões por ano, não tinha condições. Mas repito: quero dar aumento igual a todas as corporações”, afirmou.

Ele se referia à cobrança que policiais civis fazem pela paridade salarial com a Polícia Federal – o tema chegou a ser promessa de campanha do então candidato em 2014, mas nunca chegou a ser implementado.

O governador alfinetou os rivais que hoje prometem a paridade, caso eleitos. “A paridade da Polícia Civil custaria R$ 696 milhões este ano. Ano que vem, em função do crescimento vegetativo da folha, seriam R$ 842 milhões”, comentou.

Ainda segundo Rollemberg, “candidato que promete paridade da Polícia Civil com a Federal e reajuste igual para PM e bombeiro terá um aumento na folha de R$ 2,8 bilhões. Se somarmos isso ao pagamento da terceira parcela das 32 categorias, serão R$ 4 bilhões. Isso quebra o DF até março. Candidato que promete isso tudo, e ainda no primeiro mês, mente”.

Promoções
Na sabatina, Rollemberg afirmou que vai encaminhar ao governo federal a proposta de redução do interstício para promoções dentro da PM: “Vamos garantir o direto por meio de lei”.

Hoje, 57% do Fundo Constitucional são usados para a segurança pública. Montante que não foi suficiente para garantir os benefícios das categorias. “Demos aumento de 5% para PMs e bombeiros, compramos 700 novos carros e 10 mil coletes. Construímos cinco novos batalhões, entre outros. Pretendemos melhorar mais”, prometeu.

Moradia e educação
O postulante à reeleição disse que não pode garantir política habitacional para nenhuma categoria porque esse tipo de proposta sempre foi considerada inconstitucional.

Sobre investimentos nas escolas militares – como a Dom Pedro II, vinculada ao Corpo de Bombeiros –, Rollemberg anunciou a construção do Colégio Tiradentes, para abrigar 3 mil alunos.

A entrevista de Rodrigo Rollemberg encerra uma rodada de sabatinas realizadas pelos oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. As transmissões ao vivo pelo YouTube e Facebook começaram em 20 de agosto. Entre os 11 postulantes, os ouvidos foram: general Paulo Chagas (PRP), Alberto Fraga (DEM), Rogério Rosso (PSD), Alexandre Guerra (Novo), Eliana Pedrosa ( Pros) e Ibaneis Rocha (MDB).

Últimas notícias