“Não tem mais animais na Venezuela. Comeram até cavalo”, diz Bolsonaro

O presidente fez a declaração durante visita a grupo de venezuelanas em São Sebastião, no DF, neste sábado (10/4)

atualizado 10/04/2021 21:02

Jair Bolsonaro segura cachorro durante conversa com venezuelanasReprodução/Facebook

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez mais uma declaração polêmica neste sábado (10/4). Durante uma visita a um estabelecimento comercial de mulheres venezuelanas em São Sebastião, região do Distrito Federal, ele afirmou que “não tem mais animais na Venezuela”. 

Na conversa, transmitida ao vivo no Facebook pelo político, ele segurava um filhote de cachorro e questionou a alimentação no país latino-americano. “Eu estou com um cachorro aqui na mão. Na Venezuela esse cachorrinho estaria aonde uma hora dessas?” 

Depois de algumas mulheres presentes responderem que o animal estaria “muerto” e teria virado “comida”, Bolsonaro continuou. “Não tem mais animais na Venezuela. Comeram tudo. Não é só gato e cachorro não, até cavalo. Um país riquíssimo em ouro, petróleo”, afirmou o presidente. 

Palavras antigas

Essa não é a primeira vez que Jair Bolsonaro destaca que venezuelanos comem cachorros. Em outubro de 2020, o presidente declarou: ” “Tem muita gente que defende animais e é de esquerda. Olha, na Venezuela não tem mais cachorro, comeram tudo”. A afirmação foi feita a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

Na época, o Metrópoles relatou que não existem registros na imprensa internacional sobre o consumo de carne de cachorro. Contudo, existem relatos em redes sociais e vídeos no YouTube que apresentam supostas imagens de pessoas que mataram cães para consumo humano.  Entretanto, existem denúncias de uma ONG que afirma que as pessoas chegaram a se alimentar de ração para animais. 

Outras polêmicas

Durante o papo com o grupo, ele afirmou ainda que os brasileiros estão “experimentando uma ditadura” por conta do isolamento social. Além disso, o chefe do Executivo equiparou a situação do Brasil com a “ditadura venezuelana. “População brasileira, veja o que vocês têm e o que podem perder. Mais importante do que sua vida é sua liberdade”, ponderou. Leia mais sobre o visita na matéria de Lucas Marchesini

Últimas notícias