Na Feira do Guará, Rollemberg é cobrado por saúde precária do DF

Um mulher disse que não consegue remédio para tratar câncer do filho. Outra reclamou que não teve continuidade de tratamento após cirurgia

atualizado 09/09/2018 15:36

Em campanha na Feira do Guará neste domingo (9/9), o governador Rodrigo Rollemberg (PSB), candidato á reeleição, enfrentou cidadãos revoltados com a situação do atendimento da Saúde no DF. Chegou a ser questionado sobre a eficiência do Instituto Hospital de Base (IHB), menina dos olhos de seu governo.

“O senhor diz que não há nada para reclamar do Instituto, mas faz três meses que aguardo uma consulta de retorno com o cardiologista”, confrontou Irany de Oliveira Teixeira, 52 anos. De acordo com ela, após cirurgia no coração realizada na unidade, em junho deste ano, não consegue dar continuidade ao tratamento. Em resposta, Rollemberg pediu aos assessores para anotarem o telefone da mulher.

Sem querer se identificar, uma senhora se recusou a dar um abraço no candidato. “Eu tenho um filho com câncer e estou há seis meses sem conseguir remédio para ele na farmácia do GDF. Tenho que fazer bico aqui na feira, mesmo doente, para pagar um medicamento que é direito do meu filho”, explicou.

Durante o percurso, Rollemberg voltou a ser confrontado sobre nomeações de servidores. Tiago Santana (foto em destaque), 35, faz parte de uma comissão dos técnicos administrativos para a Secretaria de Saúde aprovados em concurso de 2014. “Governador, nosso concurso vai vencer em dezembro. Pare de me enrolar. Tudo o que o senhor tem de  fazer é pegar a caneta e autorizar as nomeações”, provocou o feirante.

Em resposta, o governador, mais uma vez, foi cuidadoso e culpou a Lei Responsabilidade Fiscal (LRF) pela falta de nomeações.

Mesmo fora da sua zona de conforto, Rollemberg manteve a agenda, encontrou simpatizantes, distribuiu santinhos e ainda fez uma pausa para comer pastel de queijo e tomar caldo de cana.

No percurso pelos bares ao lado da feira, a passagem do candidato chamou atenção de cabos eleitorais do postulante Ibaneis Rocha (MDB). Militantes do emedebista começaram a gritar “Fora Rollemberg”. Em reação aos gritos a favor do concorrente, a equipe do governador devolveu com “Rollemberg, governador de novo”.

 

Ainda do lado de fora da feira, funcionária da Caesb há 20 anos, Lúcia Sepúlveda, 46, alertou o candidato. “Lá na empresa está todo mundo contra o senhor. Desde que o seu governo começou, não temos mais nem coparticipação nos lucros”, disse. “A Caesb está falida”, respondeu Rollemberg.

Últimas notícias