metropoles.com

Em sabatina, Fátima promete metrô de graça aos domingos e feriados

A candidata do PSol ao GDF foi a sexta entrevistada do dia. Ela respondeu perguntas dos sindicatos parceiros e de jornalistas do Metrópoles

atualizado

Compartilhar notícia

Hugo Barreto/Metrópoles
fatima1
1 de 1 fatima1 - Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

A candidata ao Governo do Distrito Federal (GDF) pelo PSol, Fátima Sousa, foi a última sabatinada pelo Metrópoles nesta segunda-feira (20/8). A professora da Universidade de Brasília (UnB) respondeu perguntas dos sindicatos parceiros e de jornalistas. O evento foi transmitido nas redes sociais do portal: Facebook, Twitter e YouTube. Nesta terça-feira (21), serão sabatinados mais cinco aspirantes ao Palácio do Buriti.

Fátima Sousa é a cabeça da coligação Elas por Nós: Sem Medo de Mudar o DF. A candidata a vice-governadora é Keka Bagno, também do PSol. Além do partido das duas buritizáveis, o PCB compõe a chapa. Antes do início da sabatina, ela disse que, por não ter tanto tempo de rádio e TV quanto os adversários, essa é a chance de se apresentar ao eleitor. “É uma forma de esclarecer a população, dar oportunidade aos candidatos e aprofundar a democracia”, afirmou.

Ao falar sobre as propostas para a área de mobilidade, declarou pretender liberar as catracas do Metrô-DF em determinados dias. “Vamos fazer um estudo para liberar o Metrô aos domingos e feriados, para que as pessoas das regiões administrativas venham para o Plano”. Questionada se a medida não causará um rombo maior ao já combalido caixa do órgão, disse apenas que avaliará o deficit.

A enfermeira e sanitarista disputará sua primeira eleição. Apesar de ser debutante em pleito eleitoral, a candidata do PSol já atuou na Secretaria de Saúde do Município de São Paulo, na gestão da ex-prefeita da capital paulista Luiza Erundina. Também ajudou na construção do Programa Saúde da Família (PSF), no Ministério da Saúde, em 1994.

Assista à sabatina:

 

Educação
Sobre as 21 metas do Plano Distrital de Educação (PDE), Fátima Sousa disse que irá “olhar com cuidado o que foi feito”. Ainda no tema, ela afirmou que, caso eleita, não abrirá mão da universalização infantil e também tirará do papel a universidade pública do DF.

A candidata pelo PSol defendeu que creche é um direito da criança. “Precisamos ter um diagnóstico real para saber quais são as necessidades das creches e não abrirmos mão do nosso dever constitucional e privatizar as creches”, disparou.

Fátima assegurou que pretende instituir uma “câmara técnica” para discutir com as 32 carreiras do Distrito Federal sobre a terceira parcela do reajuste aprovado em 2013 e ainda não paga. Segundo ela, também é preciso verificar a viabilidade de equiparar os salários dos professores a outros cargos do GDF.

A representante do PSol comprometeu-se a pagar o tão esperado reajuste dos servidores e ainda apontou a origem dos recursos. “É uma questão de lei. De onde vamos tirar o dinheiro? Cortando desperdício, diminuindo as secretarias, os cargos comissionados e estruturas que existem para atender partidos políticos.”

Para Fátima, o governo fica “descansando” e não tem “ousadia” para desenvolver as potencialidades das regiões administrativas, angariar mais recursos e cumprir os compromissos com os funcionários públicos.

Saúde
A sabatinada disse que vai investir mais no Sistema Único de Saúde (SUS) e, ao mesmo tempo, irá reverter a medida responsável por ter criado o Instituto Hospital de Base. “Fui contra desde a origem, pois já antecipava que as razões para criar não resolviam os problemas. Estava fadado ao fracasso dessa iniciativa, pois o governo abriu mão de ser gerente. Vamos retomar o Hospital de Base para a administração pública”, garantiu. Essa atitude, inclusive, seria a primeira ação dela num possível governo.

Outro ponto que precisa ser reforçado na área, disse a candidata, é a atenção primária. Ela prometeu aumentar o número de equipes de saúde da família. “Temos que ter novas contratações e despesas, a começar pelos agentes comunitários.”

0

Sobre política para mulheres, Fátima disse que vai se “antecipar”. “Precisamos ter uma política para pré-natal, condições de moradia, e de fato saber que o Estado está do lado dela. É um conjunto de ações que não vai negligenciar nenhuma política no que se refere à mulher”, apontou.

Gestão
A sanitarista prometeu, também, mudar a lógica da política. Conforme ela explicou, “governar com o povo” significa que irá apresentar o plano de governo para os deputados distritais e, se eles não quiserem trabalhar juntos, vai explicar para a população: os representantes não querem negociar.

Fátima também disse que vai auditar os grandes empreendimentos da cidade, como o Estádio Nacional Mané Garrincha. “Foi uma quantidade de recursos empregados ali. O Estado só aporta e não tem nada de volta. É preciso olhar com muito cuidado.”

Sobre a escolha para administradores regionais, ela defendeu a formação de uma lista tríplice com nomes indicados pelos conselhos comunitários. “Não temos medo de compartilhar o poder”, acrescentou, a respeito da possibilidade de haver adversários nas indicações.

A sabatina
Antes de Fátima Sousa, participaram da sabatina Alberto Fraga (DEM)Renan Rosa (PCO)Júlio Miragaya (PT), Ibaneis Rocha (MDB) e Alexandre Guerra (Novo).

Nesta terça-feira (21/8), Eliana Pedrosa (Pros) abre as entrevistas, às 9h. O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) vem em seguida, às 10h30. O Metrópoles ainda receberá Antônio Guillen (PSTU), Paulo Chagas (PRP) e Rogério Rosso (PSD).

Dinâmica
A dinâmica da sabatina funcionará da seguinte forma: primeiro, o candidato fará uso da palavra por um minuto para se apresentar. Em seguida, responderá perguntas elaboradas pelas entidades sindicais patrocinadoras do evento – os questionamentos foram previamente gravados e serão exibidos em um telão. Por fim, os jornalistas indagarão os postulantes ao Buriti. No total, a conversa terá duração de 1 hora e 15 minutos.

“O voto representa a voz e a opinião de cada um de nós sobre quais políticas devem ser priorizadas por quem assume a gestão pública nos próximos quatro anos. Façamos deste tão importante momento um marco positivo para toda a sociedade”, ressalta Lilian Tahan, diretora de Redação do Metrópoles.

A sabatina foi elaborada pelo time do Metrópoles e contou com a participação de diversas entidades sindicais. O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília (SindSaúde), Sindicato dos Professores do DF (Sinpro), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol), Sindicato dos Delegados de Polícia (Sindepo), Sindicato da Categoria dos Peritos Oficiais Criminais (SindiPerícia) e o Sindicato dos Bancários de Brasília preparam perguntas aos candidatos.

Todos os buritizáveis, agora devidamente registrados no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), terão a oportunidade de apresentar propostas e demonstrar o que farão para melhorar as condições de vida na capital do país.

A sabatina do Metrópoles ocorre após o portal realizar o primeiro debate dos postulantes ao Executivo local. Na ocasião, havia apenas sete pré-candidatos ao Palácio do Buriti. O número aumentou mesmo após a desistência de Jofran Frejat (PR).

Cronograma das sabatinas para esta terça-feira (21/8)
9h – Eliana Pedrosa (Pros)
10h30 – Rodrigo Rollemberg (PSB)
14h – Antônio Guillen (PSTU)
15h30 – Paulo Chagas (PRP)
19h – Rogério Rosso (PSD)

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações