Guerra em sabatina: “Não é promessa minha manter o BRB público”

Herdeiro da rede de fast-food Giraffas respondeu perguntas dos sindicatos parceiros e de jornalistas do Metrópoles

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 20/08/2018 21:52

O candidato ao Governo do Distrito Federal (GDF) Alexandre Guerra (Novo) foi o quinto a encarar a sabatina do Metrópoles nesta segunda-feira (20/8). Durante 1 hora e 15 minutos, o postulante ao Palácio do Buriti respondeu perguntas dos sindicatos parceiros e de jornalistas. O evento teve transmissão ao vivo em todas as redes do portal: Facebook, Twitter e YouTube.

Aos 37 anos, Alexandre Guerra é o mais novo entre as 11 pessoas que estão na corrida pelo Palácio do Buriti. Herdeiro da rede de fast-food Giraffas, ele disputa sua primeira eleição. Formado em direito, assumiu os negócios da família e a presidência da empresa no lugar de seu pai, Carlos Guerra. Alexandre trabalha na cadeia de lanchonetes há 20 anos, na qual foi CEO entre 2012 e 2016. Hoje, integra o Conselho de Administração da organização.

Ao responder a um questionamento do Sindicato dos Bancários de Brasília, Guerra disse não garantir que o Banco Regional de Brasília (BRB) se manterá público até o fim de um eventual mandato.

O BRB é um modelo de banco inapropriado. É um banco de fomento de amigos do rei

Alexandre Guerra (Novo), candidato ao GDF

O buritizável comprometeu-se, já no início de um possível governo, a cortar 50% de trabalhadores sem concurso na administração pública. “Vamos reduzir pela metade o número de comissionados e o de secretarias, para sobrar recursos para investir em áreas essenciais: educação, saúde e segurança”.

Ele ainda defendeu que reajustes salariais devem ser concedidos mediante produtividade do servidor. “Aumento de salário deve ter contrapartida de resultado. Tem de haver meritocracia como forma de melhorar os resultados do setor público”. Na sequência, o estreante na política complementou: “A questão do salário dos servidores precisa ser analisada com calma e com o orçamento ao lado. Não vou fazer essa promessa”.

Acompanhe:

 

O Novo optou por não fazer coligação, portanto se lançou sozinho às eleições. O candidato a vice-governador de Alexandre Guerra é o médico Erickson Blun (Novo). Ao chegar ao local da entrevista, Guerra destacou a relevância de inserir representantes de trabalhadores nas sabatinas. “Acho importante colocar a sociedade civil organizada para discutir os temas. É importante, também, a população tentar perceber, de fato, o que é diferente nas propostas dos candidatos”, ressaltou.

Antes de Alexandre Guerra, participaram da sabatina Alberto Fraga (DEM)Renan Rosa (PCO)Júlio Miragaya (PT) e Ibaneis Rocha (MDB). Fátima Sousa (PSol) foi a última entrevistada desta segunda (20/8).

Na terça-feira (21), Eliana Pedrosa (Pros) abre as entrevistas, às 9h. O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) vem em seguida, às 10h30. O Metrópoles ainda receberá Antônio Guillen (PSTU), Paulo Chagas (PRP) e Rogério Rosso (PSD).

 

Emprego, concursos e Metrô
Ao comentar suas propostas para fomento à economia, o candidato do Novo disse que Brasília precisa ir além do serviço público. “Não teremos concurso público como tivemos no passado. Se quiser emprego para o filho, tem de encontrar novas vocações para a cidade, e emprego será nossa prioridade”, disse.

Questionado sobre suas propostas para melhorar a mobilidade urbana em Brasília, foi categórico ao afirmar que a solução está nos trilhos. “Eu vou melhorar e reduzir o preço do Metrô”. No segundo bloco de perguntas, fez outra promessa: expandir o Metrô-DF para a Asa Norte e outras regiões administrativas, “mas tudo por meio de concessão”.

Guerra ainda teceu comentários sobre a gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB). Para ele, o mandato do socialista é ruim porque a campanha de 2014 foi pautada pela demagogia. A metralhadora de Alexandre Guerra também estava voltada para os outros adversários na corrida ao Palácio do Buriti.

Há uma acordo informal entre Ibaneis, Rosso, Eliana e Fraga. Ninguém se agrediu no último debate. Combinaram todos para agredir Rollemberg, o saco de pancadas

Alexandre Guerra (Novo), candidato ao GDF

Perfil no Tinder
Sobre o perfil que criou no aplicativo de paqueras Tinder para, segundo ele, promover-se politicamente, Alexandre Guerra brincou: “Recebi muitos matches“.

Dinâmica
A dinâmica da sabatina funcionará da seguinte forma: primeiro, o candidato fará uso da palavra por um minuto para se apresentar. Em seguida, responderá perguntas elaboradas pelas entidades sindicais patrocinadoras do evento – os questionamentos foram previamente gravados e serão exibidos em um telão. Por fim, os jornalistas indagarão os postulantes ao Buriti. No total, a conversa terá duração de 1 hora e 15 minutos.

“O voto representa a voz e a opinião de cada um de nós sobre quais políticas devem ser priorizadas por quem assume a gestão pública nos próximos quatro anos. Façamos deste tão importante momento um marco positivo para toda a sociedade”, ressalta Lilian Tahan, diretora de Redação do Metrópoles.

A sabatina foi elaborada pelo time do Metrópoles e contou com a participação de diversas entidades sindicais. O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília (SindSaúde), Sindicato dos Professores do DF (Sinpro), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol), Sindicato dos Delegados de Polícia (Sindepo), Sindicato da Categoria dos Peritos Oficiais Criminais (SindiPerícia) e o Sindicato dos Bancários de Brasília preparam perguntas aos candidatos.

Todos os buritizáveis, agora devidamente registrados no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), terão a oportunidade de apresentar propostas e demonstrar o que farão para melhorar as condições de vida na capital do país.

A sabatina do Metrópoles ocorre após o portal realizar o primeiro debate dos postulantes ao Executivo local. Na ocasião, havia apenas sete pré-candidatos ao Palácio do Buriti. O número aumentou mesmo após a desistência de Jofran Frejat (PR).

Cronograma das sabatinas:

20/8 – segunda-feira
9h – Alberto Fraga (DEM)
10h30 – Renan Rosa (PCO)
14h – Júlio Miragaya (PT)
15h30 – Ibaneis Rocha (MDB)
19h – Alexandre Guerra (Novo)
20h30 – Fátima Sousa (PSol)

21/8 – terça-feira
9h – Eliana Pedrosa (Pros)
10h30 – Rodrigo Rollemberg (PSB)
14h – Antônio Guillen (PSTU)
15h30 – Paulo Chagas (PRP)
19h – Rogério Rosso (PSD)

Últimas notícias