Polícia procura casal que estava com mulher achada morta no DF

Rubiana dos Santos estava no apartamento da dupla. Eles teriam discutido momentos antes de a mulher ter perdido a vida, no Guará

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 22/10/2019 11:25

Policiais da 4ª DP (Guará) procuram o casal que estava com Rubiana Rosa dos Santos, 44 anos, momentos antes de ela ser encontrada morta. O corpo foi localizado, na manhã dessa segunda-feira (22/10/2019), por funcionários de uma oficina, dentro de um tanque do estabelecimento, na QE 40.

De acordo com o delegado-chefe da 4ª DP, João Maciel, nenhuma hipótese está descartada. “Ainda não sabemos como tudo aconteceu. Ouvimos algumas pessoas, mas precisamos localizar um casal que estava com ela antes do fato. Eles estão desaparecidos. Descobrimos que eles são donos do apartamento onde a vítima estava. Tiveram uma discussão 30 minutos antes da morte. Acreditamos que eles possam explicar o que houve. Se é um acidente, homicídio, se ela pulou. Eles foram as últimas pessoas que a viram com vida. Porém, não conseguimos localizá-los em nenhum endereço”, detalhou. Os nomes das testemunhas não foram divulgados pela polícia.

As linhas de investigação, até o momento, são: feminicídio, suicídio ou acidente. Segundo o delegado João Maciel, o mais provável seria suicídio, pela dinâmica da queda. “Ela caiu em pé, teve fratura exposta no tornozelo, quebrou o pé na queda. Pode ter escorregado também, parece que se segurou nos grilhões e nas telhas na descida. A queda foi muito rente ao prédio. Seria difícil uma pessoa jogá-la de lá, a queda seria mais afastada”, explicou o investigador.

Edilson Gonçalves, 40, dono da oficina, contou ao Metrópoles que chegou por volta de 7h50 e se espantou quando viu o corpo: “Abrimos a porta para ligar o compressor, que fica na parte de peças, e me deparei com a telha quebrada. Achei que era uma pedra que poderia ter caído por causa da obra. Quando olhei para o chão, vi o corpo dentro do tanque de lavar peças. Na hora, acionei a polícia e os bombeiros. Estou chocado”.

 

Vizinhos relataram ter escutado um barulho muito alto no sábado (19/10/2019) à noite, por volta das 23h. Amigos que estiveram no local disseram à reportagem que Rubiana estava fazendo acompanhamento psicológico e tomava remédios contra depressão. Mãe de três filhas, estava separada havia dois anos e tinha um namorado.

Últimas notícias