*
 

Quase um mês depois do rompimento de cabos de sustentação de uma viga, a Defesa Civil liberou, na manhã desta quarta-feira (7/11), a parte superior da Plataforma B da Rodoviária do Plano Piloto. O acidente aconteceu durante a instalação de um equipamento pela empresa de telefonia Vivo, em 10 de outubro. 

Segundo o órgão, após análises do relatório técnico apresentado pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), a conclusão foi de que não há risco na estrutura do local e as atividades podem voltar à normalidade. Ainda de acordo com a Defesa Civil, o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar foi avisado e vai fazer a liberação do trânsito em breve.

Com a liberação, as linhas 620.1 e 0.620, de Planaltina; 220.2 ,de Santa Maria; e 230.2, do Gama, voltarão a circular nas plataformas como faziam antes do acidente, de acordo com o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans). 

O presidente da Novacap, Júlio Menegotto, havia anunciado a liberação no dia 1º de novembro, ao lado do diretor-geral do DFTrans, Marcos Tadeu. 

Menegotto explicou que a viga está com funcionamento superior às normas de segurança. “Achávamos que ela tinha 50 cabos de proteção na estrutura, mas tem 112. E o concreto está 20% acima da resistência mínima. Muito mais que o necessário”, disse na época.

Acidente durante serviço
A rodoviária foi interditada na tarde do dia 10 de outubro. Não houve pânico nem necessidade de evacuar o terminal, por onde passam cerca de 700 mil pessoas diariamente.

Na ocasião, Menegotto culpou a operadora Vivo pelos transtornos ocorridos e ressaltou que a empresa executava os trabalhos sem qualquer autorização. Em nota, a telefônica confirmou que atuava na plataforma, “quando houve uma intercorrência durante a atividade”.

No dia seguinte, uma equipe de engenheiros e técnicos da Defesa Civil e integrantes do Corpo de Bombeiros fizeram uma vistoria na Plataforma B. O laudo com o resultado foi entregue oficialmente à Defesa Civil na terça-feira (6).

Veja vídeos: 

Vivo