Pequi, buriti e mais frutos do Cerrado entram na merenda escolar do DF

Projeto de Lei aprovado na CLDF na quarta-feira (7/12) obriga o GDF a priorizar a compra de frutos nativos do Cerrado para escolas

atualizado 08/12/2022 8:24

Pequi de Goiás com casca iStock

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aprovou na quarta-feira (7/12), em segundo turno, um projeto de lei (PL) que prevê a compra de frutos e produtos nativos do Cerrado para a alimentação escolar da rede  pública de ensino. Dessa forma, caso sancionado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), a merenda passará a contar com sucos, doces e bolos de diversas plantas.

São exemplos de frutos do Cerrado, pequi, buriti, mangaba, cagaita, bacupari, cajuzinho-do-cerrado, araticum, as sementes do baru, jatobá e jenipapo. A proposta do deputado distrital Leandro Grass (PV) garante que esses alimentos tenham preferência de compra com a agricultura familiar do DF.

A lei aprovada altera a existente desde 2016, que dispõe sobre a aplicação dos recursos financeiros oriundos do Tesouro do Distrito Federal na alimentação escolar.

Na opinião de Grass, essa é uma forma não só de valorizar o bioma, mas de fortalecer as políticas voltadas à segurança alimentar e nutricional.

Mais lidas
Últimas notícias