Morre José Alejandro Arce, primeiro médico do Hran vítima da Covid-19

O médico faleceu na madrugada desta quinta-feira (19/11). Nesta manhã, o Conselho Regional de Medicina emitiu nota de pesar

atualizado 19/11/2020 14:04

José Alejandro Arce médicoCRM/ Reprodução

O médico José Alejandro Arce, 56 anos, que trabalhava no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), morreu vítima do novo coronavírus na madrugada desta quinta-feira (19/11). O profissional é o primeiro médico da unidade, referência no atendimento a pacientes com a doença, a falecer por conta da Covid-19, segundo o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF). 

O CRM-DF emitiu nota de pesar na manhã desta quinta. De acordo com a entidade, José começou a trabalhar na instituição em julho, no auge da pandemia. “O Conselho lamenta profundamente a perda desse grande médico, que dedicou a vida a levar saúde à população”, diz o texto.

“Ele foi um herói durante todo seu trabalho aqui, no Hran. Nós externamos nossas condolências e sentimentos aos familiares. Estamos consternados e queremos nos juntar, neste momento, à dor da família”, relatou o diretor do Hran e conselheiro do CRM-DF, Ulysses Rodrigues de Castro.

O médico, com especialidade em cirurgia geral e ginecologia, atuava no Hran como clínico geral. Por meio de nota, a Secretaria de Saúde do DF também lamentou o falecimento do profissional de saúde.

“Arce tinha 56 anos e entrou na SES em julho, por meio do contrato temporário, para compor o quadro de profissionais da saúde no combate ao coronavírus. A pasta se solidariza com a família de José Alejandro Arce, que foi um herói ao se prontificar a ajudar no combate à doença na linha de frente”, ressaltou.

0
Mortes por Covid-19 no DF

A média móvel de mortes por Covid-19 no Distrito Federal caiu nessa quarta-feira (18/11), chegando a 8,1. Na comparação com a média móvel apurada há 15 dias, houve uma queda de 1,7%, o que indica estabilidade na quantidade de mortes.

Devido ao tempo de incubação do novo coronavírus, adotou-se a recomendação dos especialistas no sentido de comparar a média móvel do dia com a de duas semanas atrás. As oscilações no número de mortes ou de casos de até 15% para mais ou para menos caracterizam invariabilidade.

Desde o início da pandemia de coronavírus, o DF já notificou 221,5 mil contaminações e 3.845 óbitos em decorrência da doença. Nessa quarta-feira, foram registradas 8 mortes e 495 novas infecções.

Últimas notícias