Morador diz ter visto Lázaro e polícia coloca cães para rastreá-lo

Batalhões da Polícia Militar do DF e de Goiás tentam fechar o cerco ao maníaco, que há 10 dias escapa da força-tarefa criada para prendê-lo

atualizado 18/06/2021 19:01

Policiais do grupo BP cães vistoriando a BR-070 caso lazaro barbosa 7Igo Estrela/Metrópoles

O Batalhão de Cães da Polícia Militar do Distrito Federal (BPCães) e a tropa de choque da polícia de Goiás estão concentrados em uma área de mata de Girassol, no Entorno do DF, para tentar localizar rastros de Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos.

A força-tarefa teve início na tarde desta sexta-feira (18/6), após um morador da região avistar o acusado de cometer chacina no DF e aterrorizar a região entre Cocalzinho e Edilândia.

“O vizinho viu o Lázaro entrando no bananal e, em seguida, a polícia chegou. Minha casa está toda revirada… Porta quebrada, roupas e guarda-roupas revirados. Um queijo foi levado”, afirmou um produtor rural da região.

“Estamos com muito medo agora. Moramos aqui há 20 anos. Vivíamos tranquilos antes disso. A gente espera solução todo dia, reza, pede a Deus que este caso seja resolvido logo. A gente quer justiça. Isso tira o sono”, disse Sebastiana Aparecida Rodrigues, 65 anos. Da casa dela, foi levado um carregador de celular.

Policiais fazem novo cerco ao maníaco, que há 10 dias foge da polícia do Distrito Federal e de Goiás. Também são usados cavalos e helicópteros.

Veja imagens:

0

O cerco policial montado pelas forças de segurança para tentar capturar o assassino se concentra no município de Girassol, em Goiás, local onde o criminoso trocou tiros com a polícia e voltou a se esconder na mata.

A Polícia Civil de Goiás divulgou vídeos que mostram a caçada ao assassino em série pela região. Conforme o Metrópoles revelou, os agentes encontraram pelo caminho, durante as diligências, vários rituais supostamente deixados pelo psicopata.

Em diversos pontos dentro da mata, foram encontradas velas de sete dias, com pedaços de papel com o nome completo do criminoso. As autoridades desconfiam de que o próprio suspeito tenha deixado as velas acesas para pedir proteção espiritual.

Últimas notícias