Jacques Veloso: OAB-DF não será oposição nem base do futuro governo

Tributarista disputa a presidência da entidade com outras três chapas. Eleição será na próxima quinta-feira (29/11)

atualizado 23/11/2018 17:29

Michael Melo/Metrópoles

Candidato apoiado pelo governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal (OAB-DF), Jacques Veloso afirmou ao Metrópoles nesta sexta-feira (23/11) que a instituição “não é nem de situação nem de oposição ao futuro governo”. “Queremos ser parceiros, mas seremos enfáticos quando for para criticar”, afirmou.

Segundo o advogado, a OAB-DF poderá estar ao lado do emedebista nos temas de interesse da sociedade e da advocacia, mas será contrária aos projeto que não forem bons para a cidade. “Acredito que essa nossa relação mais próxima com o governador facilite o diálogo institucional para que possamos apoiar ou criticar as questões que interessam”, declarou.

Na entrevista ao portal, o candidato criticou a determinação do Tribunal de Contas da União (TCU) em exigir da OAB a prestação de contas da entidade. Para ele, a decisão pode ferir a independência da Ordem. Além disso, os dados estão disponíveis na internet para consulta.

“A Ordem propõe ações diretas de inconstitucionalidade com muita frequência que, normalmente, desagradam parte do parlamento, que tem o TCU como órgão auxiliar. Então, podemos ter amanhã uma represália porquê desagradamos alguns poderosos naquele momento. Não podemos ter esse tipo de amarra”, criticou Jacques Veloso.

O advogado criticou ainda o grande número de faculdades de direito no Distrito Federal, sobretudo pela baixa qualidade de ensino. Ele afirmou que as instituições estão mais voltadas para concursos públicos e não para o exercício da advocacia. Caso seja eleito, ele pretende propor aos escritórios a contratação de advogados por meio da OAB. A intenção é ajudar os novos defensores a serem inseridos no mercado de trabalho.

Assista:

Sobre as denúncias de que notícias falsas estariam sendo uma tônica da campanha para a OAB-DF, Veloso disse que, em uma reunião no Conselho Federal, há um mês, havia pedido mais rigor na apuração desses atos. “O que temos visto é um excesso de fake news, a prática mais odiosa da política partidária”, lamentou.

Perfil
O tributarista é cabeça da chapa Quem Sabe Faz a Ordem, que conta com o apoio do atual mandatário da entidade, Juliano Costa Couto, e do ex-presidente da OAB-DF e governador eleito, Ibaneis Rocha (MDB).

Uma das principais bandeiras do grupo é a manutenção de políticas adotadas pelas últimas gestões. Também são propostos avanços em relação a prerrogativas, acessibilidade, transparência e descentralização da entidade.

Formado em Direito pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub), Jacques Veloso é pós-graduado em Direito Tributário pela Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal e pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET). Ocupou o posto de secretário-geral da OAB-DF, na gestão de Juliano Costa Couto — da qual se afastou para entrar na disputa pela presidência da entidade.

Eleição
A votação para o comando da seccional está marcada para a próxima quinta-feira (29/11), das 9h às 17h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Segundo a OAB-DF, mais de 30 mil advogados estão aptos a participar do pleito.

A disputa conta com quatro chapas. Além de Jacques Veloso, concorrem ao cargo os advogados Délio Lins e Silva Júnior,  Max Telesca e Renata Amaral.

Últimas notícias