OAB-DF: Max Telesca quer reestruturação da imagem dos advogados

O defensor disputa o comando da entidade com candidatos de outras três chapas. Eleição será na próxima quinta-feira (29/11)

atualizado 22/11/2018 18:06

Colocando-se como oposição às duas principais chapas na disputa da presidência da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB), o advogado Max Talesca criticou a degradação da imagem da advocacia perante a sociedade e a falta de atitude da atual gestão em dar publicidade ao papel do profissional do direito. Segundo o candidato, faltam peças publicitárias que melhorem a imagem dos profissionais externamente e internamente.

“A OAB-DF nunca fez uma campanha publicitária institucional para mudar a nossa imagem. Faremos uma para mostrar qual o papel do advogado. A advocacia é milenar. Temos que mostrar que não somos criminosos por defendermos um acusado. Nós não somos nossos clientes. Somos um intermediário entre o Estado e nosso cliente. Faremos duas campanhas: uma de resgate da nossa imagem diante da população, outra da autoestima do advogado”, afirmou Talesca.

O advogado apresenta-se como uma alternativa ao revezamento dos grupos de Jacques Veloso – candidato de situação – e de Délio Lins e Silva Júnior no comando da instituição.

À frente da chapa Somos Todos OAB, Telesca defende a inclusão dos advogados jovens no mercado de trabalho e o resgate institucional da entidade. Também propõe a modernização dos processos internos.

Críticas a Ibaneis
Correndo por fora, Max Telesca criticou a participação do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) no apoio ao candidato da situação, Jaques Veloso. “Eu sei que o governador tem seu candidato de preferência, mas precisamos que ele não interfira. A OAB precisa ter independência. Não podemos ter a influência do governo dentro da Ordem. Isso tira a nossa independência.”

O candidato defendeu que os recursos da OAB sejam distribuídos de forma mais igualitária. Telesca afirma que o Distrito Federal tem cerca de 45 mil advogados e a maioria deles, atualmente, estão nas regiões administrativas. Alguns, por conta da baixa quantidade de clientes, não têm sequer onde atender, e em muitos casos acabam usando dependências da OAB nas cidades para receberem seus contratantes.

Outra crítica às gestões passadas é a falta de acesso dos advogados a serviços que poderiam estar sendo realizados pela internet. “Hoje, a sede da OAB fica no final da Asa Norte. Então, se um advogado precisar de um ofício e morar no Gama, ele precisa se deslocar de lá, podendo fazer tudo pela internet. Vivemos na advocacia 4.0, mas a OAB continua lenta”, afirmou Max Telesca.

Confira a entrevista:

Metrópoles entrevista ao vivo o candidato à presidência da OAB-DF Max Telesca

Posted by Metrópoles on Thursday, November 22, 2018

 

Perfil
Max Telesca graduou-se em direito em 1996, pela Universidade de Pelotas (RS). Ele é especializado em direito processual civil pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub) e pós-graduado em direito penal e processual penal pelo Instituto de Direito Público de Brasília.

Atualmente, ocupa o cargo de presidente do Instituto de Popularização do Direito, é escritor, e atua em diversos segmentos há 21 anos em seu escritório em Brasília.

Quatro chapas
A votação que definirá o próximo presidente da OAB-DF está marcada para a quinta-feira (29/11), das 9h às 17h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Segundo a entidade, mais de 30 mil advogados estão aptos a participar do pleito.

A eleição conta com quatro chapas. Além de Max Telesca, estão na disputa os advogados Délio Lins e Silva Júnior, Jacques Veloso e Renata Amaral.

Últimas notícias