Médicos que separaram gêmeas siamesas Mel e Lis são homenageados

Crianças passaram por cirurgia de separação de crânio no dia 27 de abril e estiveram presentes no plenário da Câmara Legislativa com os pais

Carlos Gandra/CLDFCarlos Gandra/CLDF

atualizado 14/06/2019 19:50

No colo da mãe, as gêmeas Lis e Mel, que passaram por cirurgia de separação de crânio no dia 27 de abril, estiveram presentes no plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), nesta sexta-feira (14/06/2019), em solenidade de homenagem aos profissionais que atuaram no procedimento médico.

Considerado de alta complexidade, o caso envolveu 50 profissionais do Hospital da Criança de Brasília (HCB) durante 10 meses e culminou na cirurgia com duração de 20 horas. As gêmeas siamesas – elas nasceram ligadas pelo crânio, caso conhecido como craniópagas – completaram 1 ano neste mês.

O caso “encheu de emoção todo o Distrito Federal”, declarou o autor da homenagem, deputado Claudio Abrantes (PDT). Ele lembrou que essa foi a primeira cirurgia do tipo realizada no DF, fruto de “dedicação e esforço” dos profissionais do HCB, cujo “comprometimento e capacidade” propiciou o sucesso do procedimento.

O coordenador da equipe médica, o neurocirurgião Benício Oton de Lima, contou que a cirurgia envolveu todo o HCB e também contou com a ajuda de pessoas de fora do hospital, doando equipamentos médicos “caros” para o procedimento. “Lis e Mel amoleceram o coração de todos”, disse, ao considerar as meninas responsáveis por promover a união das pessoas.

A união que ocorreu dentro do hospital também foi enfatizada pelo superintendente adjunto do HCB, José Gilson de Andrade, que citou ainda a colaboração e a expertise de médicos do estado de São Paulo e da cidade de Nova York.

Solidariedade

“Foi a solidariedade que possibilitou essa cirurgia”, avaliou a presidente do Conselho de Administração do Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada, Ilda Peliz. Ela destacou o “perfil humanizado” dos médicos. O mesmo elogio foi feito pela subsecretaria de Saúde do DF, Renata Rainha: “Foi um exemplo de humanização da medicina”.

A mãe e o pai das gêmeas, Camila Neves e Rodrigo Martins, agradeceram o “acolhimento, amor e suporte” dos profissionais do HCB e do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), onde as meninas nasceram. “Os meus anjos são os doutores”, disse Camila, ao citar os médicos que cuidaram de suas filhas, as quais, segundo ela, “estão muito bem, graças a Deus”.

Durante o evento, o deputado Claudio Abrantes entregou moções de louvor aos profissionais que atuaram na cirurgia, registrada no documentário Vidas Ligadas, Desafio para a Ciência. A solenidade contou ainda com a participação da banda sinfônica do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF).

Últimas notícias