DF: Justiça mantém presos assaltantes que fizeram reféns em mercado

Ação criminosa assustou clientes e funcionários na noite desse sábado (6/4). Algumas pessoas levaram coronhadas e foram golpeadas com facas

Divulgação/PMDF

atualizado 08/04/2019 22:36

Após audiência de custódia, a Justiça decidiu transformar em preventiva a prisão dos dois bandidos que invadiram a unidade do supermercado Big Box da 106 Norte na noite de sábado (6/4). A decisão é da juíza Flávia Pinheiro Brandão Oliveira, substituta do Núcleo de Audiências de Custódia do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). Durante a ação dos criminosos, funcionários e clientes receberam coronhadas e um deles foi golpeado com uma faca.

Foram momentos de terror. A ação durou cerca de 30 minutos. Segundo as testemunhas, os assaltantes, identificados como Douglas Rodrigo da Silva Sousa, 20 anos, e Thalisson Vieira Santos, 22, estavam agressivos e faziam ameaças a todo momento. Como funcionários do supermercado estavam se preparando para encerrar o expediente, o movimento era pequeno. A dupla estava armada com revólver e facão.

Na decisão, a magistrada ressalta a agressividade dos criminosos como justificativa para que continuem presos. “O modus operandi adotado na execução do delito retrata a periculosidade dos custodiados. O fato é gravíssimo, e a prisão se mostra necessária.”

Eles responderão judicialmente pelo crime de roubo com restrição de reféns e uso de violência com arma de fogo.

Prisão
Os dois foram presos em flagrante após uma das vítimas se trancar no banheiro e acionar a Polícia Militar do DF. A área foi cercada e a quadra, interditada. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) participou da ação. Quando perceberam que não teriam como fugir, os bandidos se renderam e foram levados para a 5ª Delegacia de Polícia (área central).

De acordo com o tenente Sudré, da Polícia Militar, as vítimas estavam em choque quando foram resgatadas. Uma das pessoas caiu no choro. “Estou salvo, estou salvo”, repetia. Com pequenos ferimentos na cabeça e em partes do corpo, precisaram receber socorro do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) e, depois, serem levadas para prestar depoimento na DP.

0

O CBMDF informou que atendeu 10 vítimas, entre elas uma menina que aparentava entre 11 e 12 anos, acompanhada da mãe. Segundo a corporação, dois funcionários do sexo masculino foram socorridos com lesões leves, causadas pelos assaltantes, e o restante das pessoas se encontrava com o estado emocional abalado. Não houve necessidade de transporte ao hospital.

O militar disse ao Metrópoles que os bandidos conheciam a rotina do local. “Tudo leva a crer que eles sabiam dos horários, o melhor momento de invadir e onde estava o dinheiro”, disse. De acordo com ele, quando invadiram o supermercado, os criminosos obrigaram o segurança a baixar as portas, para que pudessem roubar sem serem vistos. As afirmações do policial foram confirmadas com depoimentos das vítimas, que reconheceram um dos autores como ex-funcionário do mercado.

Veja vídeos do momento da prisão:

 

Últimas notícias