Acusado de atear fogo na esposa vai a júri popular no DF

Caso ocorreu no Riacho Fundo, em setembro de 2017, quando o homem jogou álcool na mulher e acendeu o fogão

IstockIstock

atualizado 03/08/2018 21:30

Acusado de tentar matar a mulher após atear fogo ao corpo dela, Leonardo Gonçalves Borges vai a júri popular. A decisão é da Vara Criminal do Riacho Fundo e foi tomada diante da suposta tentativa de homicídio quadruplamente qualificado. Ainda cabe recurso.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), após uma discussão entre o casal, no dia 3 de setembro de 2017, Leonardo teria despejado álcool sobre a esposa, que estava na cozinha, e acionado o queimador do fogão, provocando uma chama que chegou até a vítima.

A mulher gritou por socorro e tentou apagar o fogo no chuveiro, enquanto os vizinhos acionaram o Corpo de Bombeiros. O acusado fugiu do local.

O MPDFT considerou que o crime foi praticado por motivo torpe, devido a um sentimento de posse do homem em relação à vítima. Ainda de acordo com a acusação, a agressão dificultou a defesa da vítima, pois foi praticada com o emprego de fogo, e por razões da condição de sexo feminino, equiparando-se à tentativa de feminicídio.

O caso foi investigado pela 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo), responsável pela captura do suspeito três dias após o crime. Leonardo está na cadeia. Para o juiz que manteve sua prisão preventiva, devido ao fato de ele “ter passagens por delitos anteriores em contexto de violência doméstica, tais como injúria, ameaça e lesão corporal, sendo necessária a prisão, para evitar a reiteração criminosa”.

Últimas notícias