Ibaneis sobre eventual ida de Anderson Torres para PF: “Por mim, fica”

Secretário de Segurança é cotado para assumir a direção da Polícia Federal no lugar de Maurício Valeixo

OAB/ReproduçãoOAB/Reprodução

atualizado 05/09/2019 15:32

Durante cerimônia no Palácio do Buriti nesta quinta-feira (05/09/2019) para autorização do concurso público da Polícia Civil, o governador Ibaneis Rocha (MDB) disse que não quer perder seu secretário de Segurança, Anderson Torres (foto em destaque). O delegado é cotado para assumir a direção da Polícia Federal.

“Espero que Anderson continue sendo secretário de Segurança, em que pese as investidas dos jornais. Aí a vontade não é minha. Depende dele e do presidente da Republica. Por mim, ele fica”, pontuou.

Anderson Torres é o nome cotado no Palácio do Planalto para substituir o atual diretor-geral da PF, Maurício Valeixo. Delegado de carreira, Torres tem bom trânsito tanto com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) quanto com aliados do pesselista, incluindo o secretário-geral da Presidência, Jorge Oliveira, major reformado da Polícia Militar do DF.

Outro nome cogitado para o cargo é o do delegado Alexandre Ramagem, que atualmente comanda a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Na Polícia Federal desde 2015, ele fez parte do serviço de inteligência da Operação Lava Jato.

A saída de Valeixo já é dada como certa pela corporação. A avaliação é que o ministro da Justiça, Sergio Moro, encurralado por Bolsonaro, vem sofrendo sucessivas derrotas no governo e perderá de vez o poder de comando se não tiver carta branca para indicar um outro nome para dirigir a PF.

Procurada pelo Metrópoles, a assessoria de imprensa do secretário de Segurança Pública informou que o delegado não recebeu convite da Presidência da República para assumir a direção da Polícia Federal. No entanto, Torres afirmou que está lisonjeado com a citação de seu nome.

Últimas notícias