*
 
 

O governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), convidou o delegado Anderson Gustavo Torres para ser o novo secretário de Segurança Pública do DF. Anderson é delegado da Polícia Federal e, atualmente, chefe de gabinete do deputado federal Fernando Francischini (PSL-PR).

Ibaneis reuniu-se com Anderson no fim da tarde desta quarta-feira (7/11) e fez o convite. Antes de integrar os quadros da PF, Anderson foi papiloscopista da Polícia Civil do Distrito Federal e tem bom trânsito nas duas corporações.

O futuro governador deu preferência a um nome ligado ao presidente eleito, Jair Bolsonaro. Francischini é um dos principais aliados do futuro titular do Palácio do Planalto. Anderson Torres foi diretor parlamentar da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF).

Bolsonaro
Ibaneis confirmou ao Metrópoles, nesta quarta-feira (7), já ter definido o nome dos novos secretários de Segurança Pública e da Educação. No entanto, a ideia do governador eleito era anunciar os escolhidos apenas na próxima segunda (12). O primeiro nome foi definido em concordância com Bolsonaro e o futuro Ministro da Justiça, juiz Sérgio Moro.

Antes de confirmar o convite à reportagem, Ibaneis disse que o responsável pela Segurança é morador de Brasília e acompanha o presidente eleito “há muito tempo”. “Já conversei com essa pessoa e ela aceitou, mas vai falar com Bolsonaro para alinhar algumas questões”, comentou. O nome de consenso com os representantes nacionais foi repassado a ele por meio de um interlocutor.

O emedebista explicou que a demora do anúncio é para aprimorar alguns pontos, como a valorização dos direitos humanos. “Venho de uma área humanitária, como ex-presidente da Ordem [dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal], então tem certas questões que eu não concordo, como a proibição dos saidões. Temos que aperfeiçoar [o procedimento] com tornozeleiras, por exemplo.”

O futuro gestor tem tratado pessoalmente das principais pastas e disse que aceitará sugestões para chefiá-las, mas as indicações serão só dele. Para a Secretaria Fazenda, já anunciou André Clemente. Na Saúde, tem buscado o perfil de um médico que tenha trânsito com as diversas categorias. Ele, inclusive, pretende ouvir Jofran Frejat (PR) para a escolha.

Securitização
O emedebista almoçou com o presidente Michel Temer (MDB) e lideranças nacionais do partido, nesta quarta-feira (7/11), a convite do atual chefe do Palácio do Planalto. Na ocasião, o emedebista apresentou temas relacionados ao Distrito Federal, principalmente sobre a securitização de dívidas para dar folga ao orçamento local.

Segundo Ibaneis, existe um débito de R$ 31 bilhões relacionado a pessoas que, “em virtude da dificuldade econômica, não conseguem quitar [suas obrigações]”, e “com o procedimento será possível alongar esses débitos”. “Se for securitizado, vamos conseguir colocar R$ 10 bilhões nos cofres públicos do DF”, afirmou. Ele disse que essa questão foi votada no Senado e deve ser apreciada pela Câmara ainda neste ano.

Transição
Mais cedo, o grupo de transição do emedebista teve a primeira reunião oficial do núcleo de Obras, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB). Participaram do encontro o coordenador da equipe, Paco Britto (Avante), o futuro secretário de Obras, Izídio Santos Júnior, e quatro engenheiros.

Ibaneis confirmou a criação de 33 áreas temáticas na transição, mas isso não quer dizer que esse será o número de órgãos na sua gestão. “Quero aprofundar os temas para saber qual merece a criação de uma secretaria”, explicou.