GDF libera trânsito na faixa exclusiva da EPTG nesta sexta-feira

Em função da greve geral nos principais serviços públicos, trânsito ficou complicado antes das 6h em algumas vias do DF

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 14/06/2019 10:01

Para minimizar os efeitos da greve geral nesta sexta-feira (14/06/2019), o governo do Distrito Federal decidiu liberar o trânsito na faixa exclusiva da Estrada Parque Taguatinga (EPTG). Com a medida, veículos de passeio podem trafegar pelo local reservado aos ônibus sem risco de multas.  Praticamente toda a frota de transporte coletivo deixou de circular na capital do país nesta manhã. O Metrô-DF opera com 75% dos trens nos horários de pico.

O trânsito em algumas regiões do DF começou a complicar antes das 6h, o que é incomum para o horário. Sem o transporte público, muitos brasiliense resolveram tirar o carro da garagem. Sem ônibus e sem o BRT de Santa Maria, um engarrafamento começou a se formar na entrada da cidade por volta das 5h45.

Na L4 Sul, o movimento de veículos também era intenso antes do sol raiar. Na avenida Elmo Serejo, em Taguatinga, já havia congestionamento por volta das 5h30, bem como em Ceilândia, na altura do campus da Universidade de Brasília (UnB). Na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), o trânsito fluía bem antes das 6h, mas com movimento bem mais carregado para o horário.

Na Epia Sul, conforme mostrou o Waze, havia retenção por volta das 6h.

Veja imagens desta sexta-feira (14/06/2019):

Protestos

O ato convocado como forma de protesto à reforma da Previdência recebeu uma série de liminares expedidas pela Justiça, determinando a manutenção integral ou parcial dos serviços. No entanto, algumas categorias não vão cumprir as decisões judiciais.

É o caso dos rodoviários. Eles decidiram parar e não seguir a liminar do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de manter toda a frota rodando. A multa por descumprimento é de R$ 100 mil por empresa afetada; mas, em conversas em grupo de WhatsApp da categoria às quais o Metrópoles teve acesso, a orientação dos dirigentes é que os trabalhadores permaneçam em casa.

Para impedir que motoristas e cobradores furem a greve, representantes do Sindicato dos Rodoviários disseram que estarão na porta das garagens das empresas para garantir que nenhum ônibus saia.

Últimas notícias