“Está cansado e acuado”, diz secretário de Segurança de Goiás após 8 dias de buscas a Lázaro

Rodney Miranda reduziu a quantidade de efetivo policial à procura pelo bandido, deixando apenas unidades especializadas no Entorno do DF

atualizado 16/06/2021 11:59

Força-tarefa para prender Barbosa, suspeito de chacina no DFGustavo Moreno/Especial Metrópoles

O secretário de Segurança de Goiás, Rodney Miranda, afirmou, na manhã desta quarta-feira (16/6), oitavo dia de buscas por Lázaro Barbosa, que o criminoso está cansado e com dificuldade de conseguir alimento. “Está cansado e acuado. Dessa forma, fica mais perigoso, mas, também, mais suscetível à nossa chegada. Ontem, nós ficamos muito perto dele. Hoje, nós vamos pegar”, acredita.

“Hoje, temos uma área um pouco menor para trabalhar, e vamos trabalhar intensamente nela. A Polícia Militar de Goiás, com apoio do Bope do DF, vai saturar alguns perímetros delimitados pela gente. E as polícias Civil tanto de GO quanto do DF vão atender as informações e filtrar por meio da inteligência”, confirmou o chefe da pasta.

Veja imagens desta quarta-feira (16/6) da força-tarefa:

0

Rodney informou que tudo indica que Lázaro está na mesma região de Edilândia, no perímetro delimitado, e teria se movimentado nas primeiras horas desta manhã.

Na oportunidade, o secretário também explicou sobre possível desmobilização das tropas. “Optamos por deixar somente as especializadas no local. DF e Goiás. A nossa, logicamente com presença maior, porque estamos na nossa área. O DF continua apoiando tanto com a Polícia Civil quanto com a Polícia Militar. Combinei ontem com o secretário do DF, Júlio Danilo, e vamos manter aquelas que estão com conhecimento profundo da região”, detalhou.

Ainda segundo Rodney, não passa pela cúpula a ideia de convocar a Força Nacional. “Negativo. Todo o apoio que precisamos está aqui. A PRF e a PF também estão aqui conosco. É uma questão de horas ou, no máximo dias, para tirarmos esse sujeito daqui. Não vamos sair enquanto não achá-lo”, reforçou.

Comando

O posto de comando da força-tarefa, há três dias em Edilândia, será transferido para Girassol. “A partir de agora, todas as informações serão checadas e, depois, repassadas. Lá, é melhor o ponto de internet, sinal, e mais espaço. Também conseguimos um apoio do Exército para rádios que funcionam em frequências dentro da mata, e estamos avançando a cada dia. Controlando a ansiedade da população. Ele vai ser pego. Vamos ficar o tempo que precisar”, ressaltou Rodney.

Ao ser questionado sobre o valor da operação, o secretário alegou que as três vidas poupadas ontem valem qualquer esforço. “Não estamos pensando nisso.”

Segundo Rodney, a comunicação próxima com os moradores da região tem protegido 24h por dia toda a população. E acrescentou: “O comando da operação é meu. Estou em contato constante com o secretário de Segurança do DF, Júlio Danilo, colega meu da Polícia Federal.”

Chacina

Lázaro é suspeito de matar Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O crime ocorreu na madrugada do dia 8/6, no Incra 9, em Ceilândia.

O corpo dela foi encontrado no último sábado (12/6), em um matagal. O cadáver estava sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

Torturada, mutilada e possivelmente estuprada. A morte de Cleonice reflete a crueldade de Lázaro. O criminoso permanece foragido há oito dias. Caçado por uma coalização de forças policiais, o maníaco arrancou uma das orelhas de Cleonice e executou a vítima com um tiro na nuca.

Desde que matou a família Vidal, Lázaro vem atacando propriedades, fazendo mais vítimas. Ainda no Incra 9, em Ceilândia, invadiu outros dois locais. Obrigou os chacareiros a cozinharem para ele e até a fumarem maconha. Sempre agressivo, chegou a roubar um carro e incendiá-lo, próximo a Cocalzinho.

Últimas notícias