Após matar ex-mulher e companheiro dela, PM é condenado a 32 anos

Há três anos, o casal de professores foi assassinado a facadas e os corpos das vítimas foram queimados. Crime ocorreu no Entorno do DF

Reprodução/TV AnhangueraReprodução/TV Anhanguera

atualizado 02/11/2019 11:54

Em julgamento que durou quase 18 horas, o sargento aposentado da Polícia Militar do DF Orlando Bernardino de Melo, 52 anos, foi condenado a 32 anos e três meses de prisão após matar e queimar os corpos da ex-mulher e do companheiro dela na época, em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal.

Os professores Milena Barbosa de Melo, 33, e Antônio Vidal da Silva, 36, foram encontrados mortos no dia 30 de agosto de 2016. De acordo com a Polícia Civil, o militar invadiu a casa (foto de destaque), esfaqueou o casal, colocou os corpos dentro do carro e depois ateou fogo. Ele chegou a escrever nas paredes da residência, com o sangue das vítimas, a palavra “traição”.

Milena e Orlando viveram juntos por 15 anos, mas ela decidiu se separar do PM após registrar ocorrências contra o até então marido por violência doméstica. Depois disso, começou a namorar o colega de trabalho, com quem ficou por dois meses. A relação entre os dois, contudo, não foi aceita pelo sargento.

 

Durante o julgamento, o advogado do militar declarou que ele agiu em “legítima defesa”. Essa foi a mesma justificativa que deu à época, quando foi preso. Além dos assassinatos, o PM foi condenado por destruição de cadáver e fraude processual.

 

 

Últimas notícias