Em assalto, criminosos reconhecem conselheiro tutelar do DF e o espancam

Vítima teve o braço quebrado pelos bandidos enquanto saía de uma missa, em Santa Maria

atualizado 03/08/2020 7:20

Conselheiro agredidoMaterial cedido ao Metrópoles

Um conselheiro tutelar de Santa Maria foi espancado após ser reconhecido por criminosos durante um assalto. O caso aconteceu na noite desse sábado (1º/8).

O servidor Gleison Walison de Sousa Silva (foto em destaque) foi abordado enquanto saía de uma missa na cidade para ir ao Santa Maria Shopping. Durante a ação, os assaltantes o identificaram e passaram a agredi-lo.

Ao Metrópoles, Gleison afirmou que os assaltantes ainda levaram seu celular. “Dois homens passaram por mim, me olharam e seguiram caminho. Mais na frente voltaram, me atacaram e levaram o celular. O estranho é que minha carteira com valores não foi levada”, explica.

Silva suspeita que o assalto tenha outras motivações. As agressões provocaram ferimentos graves no servidor, que aguarda por cirurgia no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM).

O profissional agredido é conhecido na região por sua atuação no Conselho Tutelar de Santa Maria Norte.

Uma ocorrência será registrada na 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria) para investigar o caso. Ninguém havia sido preso até a última atualização desta reportagem.

0
Vulneráveis

O Metrópoles mostrou que os conselheiros têm sido alvo recorrentes de ameaça durante ocorrências em que atuam. Segundo a associação que representa a categoria, “todo servidor já presenciou ou sofreu algum tipo de agressão”

A categoria sempre estará em um papel de risco, pois lida com violadores de direito. A gente, quando faz a intervenção necessária, está submetido à questão da vulnerabilidade porque o violador fica enfurecido conosco. Estamos expostos, e essa exposição é inerente às próprias medidas emergenciais que realizamos”, explica Neliton Portuguêz, da Associação dos Conselheiros Tutelares do DF (ACT-DF).

Teletrabalho

Em função da crescente onda de violência, a Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania (Sejus) organizou uma reunião com representantes da Associação dos Conselheiros Tutelares para discutir melhorias nos procedimentos de segurança ofertados aos servidores.

Uma das providências anunciadas pela pasta é a adoção do regime de teletrabalho para os servidores que não se sentirem seguros durante o exercício de suas atividades.

Segundo a pasta, “todo conselheiro que solicitar teletrabalho terá o seu pedido atendido”. A Sejus planeja, também, criar uma portaria, em conjunto com a categoria, com medidas para garantir mais segurança aos profissionais em exercício.

Últimas notícias