Bolsonaro sobre desentendimentos com Ibaneis: “Coisa do passado”

Fala ocorreu após anúncio do apoio de Ibaneis Rocha (MDB) à reeleição de Jair Bolsonaro (PL), nesta 4ª, no Palácio da Alvorada

atualizado 05/10/2022 11:27

Ibaneis Rocha vai ao Alvorada e declara apoio a Bolsonaro no 2º turno Rafaela Felicciano/Metrópoles

Após o anúncio de apoio do governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB) à campanha de segundo turno das eleições para presidente, o atual chefe do Executivo federal Jair Bolsonaro (PL) afirmou, em coletiva de imprensa no Palácio da Alvorada, na manhã desta quarta-feira (5/10), que os desentendimentos com a chefia do Buriti são “coisa do passado”.

“É coisa do passado. Na pandemia, ninguém sabia o que era o vírus. Todos buscamos uma maneira de fazer o melhor. Você tentando mudar, às vezes, erra”, disse Bolsonaro. Ibaneis respondeu apenas que “ninguém tinha o manual” para combater a crise sanitária.

Veja fotos do encontro:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

Ainda em conversa com a imprensa, Ibaneis criticou a correligionária e terceira colocada na disputa presidencial, Simone Tebet (MDB).

“Ela nunca chegou a me ligar, nem durante o período da eleição. A Simone, como candidata e representante do MDB, não teve diálogo com os governadores. Agora, neste momento, vai tomar uma decisão, mais um vez, isolada se ela for apoiar o presidente Lula”, disse Ibaneis.

O emedebista havia anunciado, nessa terça-feira (4/10), o apoio ao atual presidente da República em entrevista ao Metrópoles. Na fala, o chefe do Executivo local ressaltou a importância do governo federal para a realização de obras e reafirmou que iria às ruas pedir votos para o candidato do PL.

“Durante minha campanha, ressaltei, em todos os momentos, a importância do governo federal na realização das grandes obras aqui no DF […]. A gente tem conseguido trabalhar na cidade em plena harmonia. Nada mais natural que esse apoio, agora, no segundo turno ao presidente Bolsonaro. É um apoio que vai de coração. Vamos correr às ruas do Distrito Federal com a população, em especial, a mais carente, para que consigamos os votos para reeleger o presidente Jair Bolsonaro. Essa é uma parceria efetiva, e nós vamos trabalhar muito para reeleger o senhor”, disse Ibaneis a Bolsonaro, no Palácio da Alvorada.

Reajustes

Em entrevista ao Metrópoles o governador também anunciou a concessão de reajuste salarial de 18% a todas as categorias de servidores públicos — à exceção das forças de segurança.

“Pretendo trabalhar na faixa dos 18% [de reajuste] para todas as categorias, que é o colocado no âmbito federal. No caso da segurança, como existe o orçamento previsto no Fundo Constitucional, seria em uma só parcela. Dos demais servidores, vamos parcelar ao longo dos quatro anos de mandato, de modo que tenha acréscimo no salário de todos servidores [todos os anos]”, detalhou o governador.

O emedebista ressaltou que trabalhará para que a aprovação do projeto ocorra  ainda em 2022, mesmo que o pagamento comece só em janeiro.

“Pretendemos encaminhar projeto à Câmara Legislativa concedendo reajuste geral para todas as categorias. Depois, vamos fazer pequenos ajustes em algumas carreiras. Sobre as forças de segurança, mandaremos a proposta ao Congresso Nacional e, depois, ao presidente da República, independentemente de quem seja [Lula ou Bolsonaro], logo no início do mandato”, completou Ibaneis.

Mais lidas
Últimas notícias