Empreendedores lotam auditório em lançamento de aceleradora de startup

A ACE tem, entre seus parceiros, 20 das 100 maiores companhias do país

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 24/08/2018 11:05

Acaba de desembarcar em Brasília a Aceleradora de Startups e Inovação (ACE), empresa do setor com os melhores resultados da América Latina.

A cerimônia de lançamento ocorreu na noite desta quinta-feira (23/8), no auditório da Casa Thomas Jefferson (706/906 Sul), e foi marcada pela presença massiva de empreendedores do Distrito Federal ansiosos para conhecer o “caminho das pedras” e atingir bons resultados.

O ato de aceleração de startups pode ser definido como uma combinação de fatores que, em pouco tempo, produz muito resultado.

É com essa premissa que o CEO do grupo Beiramar Imóveis, Pedro Fernandes, parceiro da ACE, trouxe a empresa de inovação corporativa para o Distrito Federal. “Brasília tem vocação e aqui há gente muito bem-formada. Estamos geograficamente bem localizados, temos um potencial enorme e um mercado fantástico. Tem grandes mentes aqui e imagino que todos esses agentes vão fazer com que a cidade seja cada dia mais inovadora”, espera Fernandes.

A ACE tem, entre seus parceiros, 20 das 100 maiores companhias do país. Os empreendedores – com base em São Paulo – aceleraram mais de 200 startups e venderam nove delas para grandes grupos empresariais.

Para receber o direcionamento da ACE, não basta querer. Primeiro, é preciso passar por um rigoroso processo de seleção, no qual apenas 1% dos interessados são selecionados. “A gente precisa garantir a qualidade e, como a somos investidores em estágio inicial, o nosso papel é achar bons empreendedores e garantir o que eles precisam para crescer. Fazemos um trabalho de longo prazo, olhando para a frente. Quando nos comprometemos com alguma coisa, esperamos trabalhar com os melhores e olhar longe”, afirma o CEO da ACE, Pedro Waengertner.

As palestras de apresentação da empresa foram disputadas. O auditório da escola de idiomas onde o evento ocorreu, com capacidade para aproximadamente 100 lugares, ficou lotado.

Para o head da região Centro-Oeste da ACE, Ítalo Nascimento, o método a ser aplicado em Brasília será o mesmo do restante do país. Para ele, a vinda da ACE para a cidade tem relação com o bom perfil de Brasília para negócios.

“A gente busca empresas que já estejam funcionando, com um produto desenvolvido em casa e já lançado – não pode ser terceirizado – e com clientes ativos. As startups que atendem a essas premissas estão habilitadas a participar do nosso processo seletivo”, explica Nascimento.

Últimas notícias