Aumento do etanol e reajuste do ICMS fazem gasolina subir no DF

Em muitos postos, preços chegaram a R$ 4,59 neste fim de semana. Tendência é de novo acréscimo até fevereiro, afirma Sindicombustíveis

Thiago S. Araújo/ Especial pra o MetróplesThiago S. Araújo/ Especial pra o Metróples

atualizado 13/01/2020 17:51

O barril de Petróleo ultrapassou a marca de US$ 65 no mercado internacional e os postos de combustíveis do Distrito Federal já reajustaram os preços da gasolina vendida na capital.

A expectativa era que as cifras subissem para o brasiliense após os ataques do Irã contra duas bases norte-americanas no Iraque. No entanto, o que salgou o combustível na capital foi o aumento do etanol e da base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Segundo informações do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicombustíveis-DF), o etanol subiu R$ 0,10 e a base de cálculo do ICMS no DF também teve alta. Publicação do Diário Oficial com data de 8 de janeiro traz o acréscimo. Juntando as duas mudanças, o impacto para as distribuidoras foi de cerca de R$ 0,07.

“O preço do litro da gasolina para as distribuidoras sai em média a R$ 4,23, variando com R$ 0,05 para baixo ou para cima. Para os clientes, o valor subiu uma média de R$ 4,51, variando entre R$ 4,39 e R$ 4,57”, afirmou o presidente do sindicato, Paulo Tavares, ao Metrópoles.

Segundo Tavares, não houve aumento no preço do combustível na Petrobras. Ainda assim, a previsão é que haja nova alta. “Está acabando o período de férias escolares, principalmente das particulares. Houve muita promoção de combustível no começo de janeiro. Agora, a tendência é que a gasolina volte para os preços de dezembro de 2019, com uma média de R$ 4,60”, disse.

Ao passar pelos postos do Núcleo Bandeirante, Guará, Taguatinga, Lago Sul, Asa Sul e Asa Norte, a reportagem notou os reajustes. Os preços, que estavam entre R$ 4,35 e R$ 4,39, subiram para R$ 4,55 em diversas bandeiras.

Últimas notícias