Coronavírus: GDF vai liberar funcionamento de agências bancárias

De acordo com o governador, bancos terão de respeitar distância entre os clientes e oferecer máscaras e álcool em gel

atualizado 07/04/2020 14:10

Hugo Barreto/Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha (MDB) disse que vai assinar decreto nesta terça-feira (07/04) para liberar o funcionamento das agências bancárias no Distrito Federal. Em entrevista ao DFTV, da TV Globo, no começo desta tarde, o emedebista disse que a ideia é evitar aglomeração das pessoas nos pontos de saque em funcionando, como as lotéricas.

Os bancos, porém, devem respeitar o distanciamento entre os clientes e oferecer máscaras e álcool em gel aos funcionários. “A rede bancária tem condições de fazer isso. Queremos evitar aglomerações na hora de fazer o saque”, frisou o titular do Palácio do Buriti. Ibaneis ressaltou ainda que os próximos 15, 20 dias, serão dramáticos por conta do pico da pandemia do novo coronavírus.

Ao liberar o funcionamento das instituições financeiras, o governador destacou que pretende atender especialmente as famílias mais carentes. “Estou terminando de preparar o decreto, que vai ser assinado hoje. Vamos abrir as agências bancárias para aliviar um pouco o sofrimento das pessoas. Muitas famílias estão passando necessidade, fome. O momento é de dar retaguarda para essas pessoas mais carentes”, reforçou.

Não está descartada a liberação de mais setores. “Aos poucos, a cidade vai voltando ao normal. Estou em contato constante com o presidente da Fibra. Vendo, por exemplo, o retorno de indústrias, cartórios. Vamos analisar as medidas nos próximos dias”, assinalou o governador.

No começo de abril, Ibaneis publicou decreto ampliando a suspensão de diversas atividades até o dia 3 de maio, para evitar a disseminação do novo coronavírus. De acordo com o documento assinado pelo emedebista, escolas, universidades e faculdades das redes de ensino pública e privada continuarão fechadas até o dia 31 de maio de 2020.

Nesta terça, aumentou para 12 o número de mortos por coronavírus no DF. São 492 casos confirmados.


Veja o que pode ou não funcionar no DF

Funcionamento permitido, desde que obedecendo às orientações sanitárias:

  • Feiras permanentes e populares apenas para venda de produtos alimentícios
  • Clínicas médicas, laboratórios, consultórios e farmácias
  • Clínicas veterinárias, petshops e lojas de medicamentos veterinários
  • Supermercados, mercearias, hortifrutigranjeiros, açougues, peixarias, comércio de produtos naturais, comércio de venda de suplementos e fórmulas alimentares
  • Lojas de material de construção
  • Postos de combustíveis
  • Comércio do segmento de veículos automotores
  • Empresas de tecnologia, exceto lojas de equipamentos e suprimentos de informática
  • Empresas envolvidas no combate à pandemia do novo coronavírus e/ou à dengue
  • Funerárias e serviços relacionados
  • Lotéricas e correspondentes bancários

Lista das feiras permanentes que podem abrir:

  • Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa)
  • Feira Central de Ceilândia
  • Feira de Hortifrutigranjeiro de Planaltina
  • Feira Modelo de Sobradinho
  • Feira do Paranoá
  • Feira Permanente de Brazlândia
  • Feira Permanente da Candangolândia
  • Feira Permanente do Cruzeiro
  • Feira Permanente do Gama
  • Feira Permanente do Guará
  • Feira Permanente da Estrutural
  • Feira Permanente da Guariroba
  • Feira Permanente do Jardim Botânico
  • Feira Permanente do Núcleo Bandeirante
  • Feira Permanente do P Norte – Ceilândia
  • Feira Permanente da QNL – Taguatinga
  • Feira Permanente de São Sebastião
  • Feira Permanente de Sobradinho II
  • Feira Permanente da 313 de Samambaia
  • Feira Permanente da 510 de Samambaia
  • Feira do Produtor de Ceilândia
  • Feira do Produtor de Vicente Pires
  • Empório Lago Oeste

O que está suspenso até o dia 3 de maio:

  • Eventos de qualquer natureza, que exijam licença do poder público
  • Eventos esportivos
  • Cinema e teatro
  • Academias
  • Museus
  • Zoológico
  • Parques recreativos, urbanos e vivenciais
  • Boates e casas noturnas
  • Shopping centers
  • Igrejas
  • Bares e restaurantes (permitido apenas delivery)
  • Salões de beleza
  • Foodtrucks
  • Comércio ambulante em geral

Últimas notícias