Conheça os 24 bombeiros e bombeiras do DF que vão ajudar o Haiti

Esta é a primeira participação de mulheres do CBMDF em uma missão no exterior. Número de mortos no país caribenho ultrapassa 2,1 mil

atualizado 24/08/2021 8:52

Missão brasileira para o HaitiRafaela Felicciano/Metrópoles

A aeronave KC-390 Millennium, da Força Aérea Brasileira (FAB), aterrissou na tarde dessa segunda-feira (23/8), em Porto Príncipe, no Haiti. Nela, entre materiais de emergência e medicamentos, 24 bombeiros do Distrito Federal desembarcaram no país caribenho, atingido, no último dia 15, por um terremoto de magnitude 7.2 na Escala Richter e, dois dias depois, pelo ciclone tropical Grace.

O Metrópoles apurou quem são os profissionais que compõem a equipe especialista em desabamentos e desmoronamentos. O grupo tem média de idade de 35 anos e acumula experiência no rompimento de barragem em Brumadinho (MG), além de missões de busca e resgate no Entorno do DF.

A ação humanitária também marca a primeira participação de mulheres do CBMDF fora do país.

“Essa é a primeira participação de mulheres em uma missão no exterior”, revela o comandante-geral da corporação, coronel William Bomfim. “Elas são especialistas em multimissões: major Paula Tiemy, especialista com cães, e a 3° sargento Fabíola”, cita o oficial.

0

“A maioria tem entre 35 e 36 anos. O chefe da delegação é o coronel Teixeira, ele tem 52, mas tem gente bem mais nova também. São pessoas que têm formação na área de busca e resgate e salvamento. Não foi ninguém que não tenha essa formação”, explica o comandante.

Conheça a equipe:

  1. Coronel Marcelo Teixeira Dantas
  2. Tenente-coronel Giancarlo Borges Pedroso
  3. Major Lucas Caetano Leão
  4. Major Daniel Saraiva Gomide
  5. Major Paula Tiemy Nogueira
  6. 1° tenente Marcelo Neves Carvalho
  7. Subtenente Rodrigo Goston e Figueiredo
  8. Subtenente Paulo do Nascimento Benigno
  9. Subtenente Luis Ricardo Fernandes Jales
  10. 1° sargento Udiberlei de Souza Monteiro
  11. 1° sargento Crizano Antônio Siqueira Ribeiro
  12. 2° sargento Deusmar Nunes da Silva
  13. 2° sargento Wedsney Luis Lopes Rogério
  14. 3° sargento Carolina Torres Silva
  15. 3° sargento Fabíola Gomes Monteiro
  16. 3° sargento Felipe Gaspar de Oliveira
  17. 3° sargento Rodrigo de Castro Pacheco
  18. 3° sargento Shaiene Victor Martins Neves
  19. 3° sargento Victor Santanna Lacerda
  20. 2° sargento Telmo Silva Rafael Júnior
  21. 3° sargento Diego Telêmaco de Brito Barbosa de Nóbrega
  22. 2° sargento Leandro da Motta Alves
  23. 3° sargento Leonardo Gomes Pinto
  24. 3° sargento Bruno Felipe Alves Pereira

Outros oito bombeiros, de Minas Gerais e também da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), compõem os 32 integrantes da equipe.

Rotina

A previsão é de que a equipe permaneça no país pelas próximas três semanas para ajudar no resgate de pessoas soterradas. O número de mortos nos país ultrapassa 2,1 mil.

“Eles vão estar junto com o pessoal da Embaixada do Brasil no Haiti. Vão para uma cidade ao Sul e estarão disponíveis na busca de pessoas que estão em estruturas colapsadas”, explicou o coronel.

Apoio empresarial

O comandante William também revelou que foi procurado por inúmeros empresários do Distrito Federal dispostos a ajudar os haitianos. A ideia é de que quando forem buscar os bombeiros, previsto para daqui três semanas, a ajuda seja enviada.

“Vários empresários nos procuraram perguntando se podíamos mandar donativos em comida ou roupa. Vou perguntar para o Ministério das Relações Exteriores”, destacou.

Insumos

A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) também levou um representante do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), cerca de sete toneladas de materiais e equipamentos de emergência, 3,5 toneladas de medicamentos, além de insumos estratégicos do Ministério da Saúde.

Planejado para situações de desastres, o material visa atender até 10 mil pessoas por unidade. Entre os insumos estão materiais de uso hospitalar disponibilizados pela Força Nacional do SUS, como macas, colares cervicais, biombos e outros.

A assistência farmacêutica da pasta federal disponibilizou, ainda, insulina humana tipo regular, medicamento que tem ação rápida em casos de choque, ocasionado pela diminuição anormal do volume do sangue.

Mais lidas
Últimas notícias