Bombeiros do DF chegam ao Haiti: “Especialistas em busca e resgate”

Profissionais enviados na missão vão atuar no resgate e socorro às vítimas. Número de mortos ultrapassa os 2,1 mil

atualizado 23/08/2021 16:53

Missão brasileira para o HaitiRafaela Felicciano/Metrópoles

A aeronave KC-390 Millennium, da Força Aérea Brasileira (FAB), que decolou na manhã deste domingo (22/8) de Brasília com destino a Porto Príncipe, no Haiti, desembarcou na tarde desta segunda-feira (23/8) ao país caribenho. Além de materiais de emergência e medicamentos, dos 32 bombeiros que embarcaram na missão humanitária, 24 são do Distrito Federal.

A equipe chega ao local com ajuda para o país caribenho, que sofreu, no último dia 15, um terremoto de magnitude 7.2 na Escala Richter e, dois dias depois, foi atingido pelo ciclone tropical Grace, que acentuou os problemas. O número de mortos ultrapassa 2,1 mil.

Ao Metrópoles, o comandante-geral da corporação, coronel William Bomfim, detalhou a operação que visa o resgate de pessoas soterradas. “Eles são especialistas em busca e resgate em estruturas colapsadas. São os profissionais que atuam em locais com desabamento, desmoronamento”, ressaltou o coronel.

0

Durante a viagem, o avião apresentou problemas técnicos e precisou ser trocado na tarde de ontem. Dessa forma, os profissionais desembarcaram somente hoje no país. “Chegaram na hora do almoço, por volta das 14h30”, disse Bomfim.

“Eles vão estar junto com o pessoal da embaixada do Brasil no Haiti. Vão para uma cidade ao Sul e estarão disponíveis na busca de pessoas que estão em estruturas colapsadas”, explicou o coronel.

Ainda segundo o comandante-geral, a equipe é composta por profissionais com experiência em eventos como este. “Muita gente ali esteve em Brumadinho. Inclusive eu, em 2010, fui ao Haiti. Eles conhecem um pouco o terreno”, destaca. “Isso só foi possível graças ao Ministério da Defesa, das Relações Exteriores e ao Exército, que nos ajudou com a parte logística”, reforçou.

Apoio empresarial

William também revelou que foi procurado por inúmeros empresários do Distrito Federal, dispostos a ajudar os haitianos. A ideia é que quando forem buscar os bombeiros, previsto para daqui três semanas, a ajuda seja enviada.

“Vários empresários nos procuraram perguntando se podíamos mandar donativos em comida ou roupa. Vou perguntar para o Ministério das Relações Exteriores”, destacou.

A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) também levou um representante do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), cerca de sete toneladas de materiais e equipamentos de emergência, do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, de Minas Gerais e também da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP).

Também foram levadas mais 3,5 toneladas de medicamentos, além de insumos estratégicos do Ministério da Saúde. Planejado para situações de desastres, o material visa atender até 10 mil pessoas por unidade. Entre os insumos estão materiais de uso hospitalar disponibilizados pela Força Nacional do SUS, como macas, colares cervicais, biombos e outros.

A assistência farmacêutica da pasta federal disponibilizou, ainda, insulina humana tipo regular, medicamento que tem ação rápida em casos de choque, ocasionado pela diminuição anormal do volume do sangue.

Mais lidas
Últimas notícias