Com 174 novos casos, dengue segue em alta no DF em relação a 2019

Total de casos prováveis chega a 45.643, aumento de 22,4% em relação às mesmas 42 semanas epidemiológicas do ano anterior

atualizado 05/11/2020 9:29

Mosquito da DengueJoao Paulo Burini/Getty Images

Os casos de dengue continuam aumentando no Distrito Federal. Segundo novo boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), os 45.643 casos confirmados e suspeitos, entre 29 de dezembro de 2019 e 17 de outubro de 2020, refletem um aumento de 22,4% em relação às mesmas 42 semanas epidemiológicas de 2019, que totalizava 37.272 ocorrências. Na última semana, esse aumento apresentava taxa de 22,3%.

Com 174 novas notificações reportadas na última semana analisada, a capital federal atingiu taxa de incidência de 1.495,24 casos por 100 mil habitantes pela arbovirose (doença transmitida por insetos). A publicação ressalta, ainda, que, das 31 regiões administrativas observadas pela pasta, 30 delas apresentam alta incidência para a dengue, sendo somente a RA do Sudoeste/Octogonal com incidência média (293,17 casos por 100 mil habitantes).

0

Quanto ao ranking de notificações, os 5.160 casos em Ceilândia colocam a cidade na liderança no total de ocorrências. Gama (4.700 casos), Santa Maria (3.764) e Samambaia (3.632) aparecem na sequência. Já o ranking por contágio a cada 100 mil habitantes é liderado por Sobradinho II, com taxa de incidência de 3.383,88 casos.

Casos graves e outras doenças

Se o número total de casos prováveis segue em alta, a taxa de mortalidade da dengue segue o caminho contrário. Nenhum novo óbito provocado pela doença foi registrado na última semana epidemiológica, mantendo o total de 44 mortes em 2020, ou seja, 0,1% de taxa de mortalidade. Comparados à 53 mortes registradas no mesmo período de 2019, os casos fatais reduziram 17%.

Os óbitos foram predominantes no Gama, com 10 notificações. Ceilândia e Planaltina, com quatro em cada cidade, Samambaia e Vicente Pires com 3, outros dois em cada uma das cidades de Sobradinho, Guará, Sobradinho 2, Lago Sul, Recanto da Emas, Taguatinga e Santa Maria e, por fim, um no Riacho Fundo 2, Paranoá, Fercal, Águas Claras, Sudoeste/Octogonal e Plano Piloto completam a estatística. Além disso, contabilizou-se 68 casos graves da doença e outros 698 com sinais de alarme.

O relatório também traz levantamento dos casos de outras arboviroses: zika vírus, febre chikungunya e febre amarela. Nenhuma delas matou no DF em 2020, até onde o estudo mostra, com 125 ocorrências prováveis para a chikungunya, 59 para o zika e nove para a febre amarela, sendo que, desta última, são todos suspeitos, sem confirmação de diagnóstico da doença.

Veja cuidados importantes no combate à dengue:
  • Tampe caixas d’água, tonéis e latões;
  • Guarde garrafas vazias viradas para baixo;
  • Guarde pneus sob abrigos;
  • Não acumule água nos pratos de vasos de plantas e encha-os com areia;
  • Mantenha desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises;
  • Mantenha lixeiras fechadas.

Últimas notícias