O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e a Defesa Civil emitiram alerta de tempestade para esta terça-feira (16/04/19). De acordo com o aviso meteorológico, a previsão é de chuvas intensas, que pode chegar a 50mm/dia.

O alerta do Inmet também ressalta a possibilidade de ventos intensos, de até 60km/h. A Defesa Civil, por sua vez, pede que os brasilienses evitem pontos de alagamento durante as chuvas e busquem abrigo durante a tempestade. As precipitações, segundo o Inmet, devem terminar por volta das 7h desta quarta-feira (17/04/19).

No último fim de semana, chuvas fortes provocaram alagamentos em diversos pontos do Distrito Federal. Parte de Águas Claras, por exemplo, ficou ilhada. Em locais sem a devida regularização e carentes de drenagem adequada, a situação foi pior.

Em algumas ruas não pavimentadas, o asfalto cedeu e o chão virou barro escorregadio. Filetes de água escorriam para dentro das residências.

“Moro aqui há 17 anos e a situação só piora”, diz o gerente de uma oficina, Jhonatan Alberto da Costa, 23 anos. Ele relata que, quando há chuva intensa, parte do esgoto de terrenos vizinhos e o lixo acumulado das ruas descem com a água fluvial e, por vezes, invade seu terreno, onde cuida de duas filhas, entre 3 e 5 anos. Nesse fim de semana, não foi diferente (veja abaixo).

Na parte “vertical” de Águas Claras, mesmo com todas as cartas de Habite-se em dia, os moradores também enfrentaram transtornos. Vídeos cedidos ao Metrópoles mostram a enxurrada invadindo condomínios na noite de sexta-feira (12/04/19). Na manhã desta segunda, a reportagem ainda encontrou crateras nas pistas, agravadas pelas fortes precipitações do fim de semana (veja abaixo).

A Administração da região afirmou, por meio de assessoria, que existe pouco a ser feito em Arniqueiras e no Areal além de mitigar os efeitos das chuvas, pois a falta de documentação dos setores impede maiores intervenções na estrutura de drenagem. Sobre os registros de acúmulo na parte nobre de Águas Claras, o órgão afirmou se tratar de um caso pontual.

Michael Melo/Metrópoles

Deslizamentos
Durante a última semana, episódios graves em Sobradinho também foram registrados pelo Corpo de Bombeiros do DF e pela Defesa Civil. Na última quarta (10/04/19), a chuva forte alagou ruas, condomínios, parte do hospital regional e provocou o deslizamento de terra no Morro do Sansão, em Sobradinho II.

De acordo com levantamento da Defesa Civil feito naquele dia, existiam pelo menos 41 áreas de risco em 19 regiões administrativas do DF, em um total de 5.367 residências vulneráveis.

Conforme o Instituto de Meteorologia (Inmet), desde 1º de abril, já foram registradas precipitações que acumularam 206,7mm. A média histórica por ao mês é de 133,4mm, portanto a chuva superou as expectativas. “Desde o começo de 2019, o único mês com volume abaixo da média foi janeiro”, informa o meteorologista Manoel Rangel.

Segundo ele, os sistemas climáticos da Região Norte do país estão mais ativos em relação aos últimos anos e têm lançado umidade sobre o Centro-Oeste. “Isso faz com que haja mais nuvens e, consequentemente, mais precipitações”, explica.