Ceilândia dobra o número de mortes por coronavírus em apenas uma semana

Cidade saiu de sete para 14 óbitos entre 11 e 18 de maio. Quantidade de infectados cresceu mais de 171%. Planaltina também chama atenção

Pessoas caminham pelas ruas de CeilândiaHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 19/05/2020 10:31

O triste ranking de mortes pelo novo coronavírus no Distrito Federal tem Ceilândia em primeiro lugar, com 14 óbitos registrados. Um dado assusta: a cidade dobrou o número de falecimentos em uma semana. No dia 11 de maio, tinha sete pessoas que perderam a vida para doença. No dia 18, chegou a 14.

O número é reflexo do aumento de casos no mesmo período na cidade. Na mesma semana, a quantidade de infectados saiu de 128 para 348. Ou seja, um crescimento de 171,8%. Em termos de comparação, o DF como um todo saltou de 2.571 registrados de contaminados para 4.123 no mesmo intervalo de tempo, um aumento de 60,3%.

Em números absolutos, a situação de Ceilândia é preocupante. A cidade mais populosa do Distrito Federal, com cerca de 490 mil moradores, tem mostrado pouca adesão ao isolamento social. No dia 12 de maio, por exemplo, era uma das regiões administrativas com menor índice na capital: 39% (o ideal preconizado pela Organização Mundial da Saúde é de 70%).

Em termos percentuais, outras regiões administrativas chamam atenção. Planaltina apontava somente uma vítima da Covid-19 morta há uma semana. Nos dados da Secretaria de Saúde de segunda-feira (18/05), a cidade chegou a quatro mortes. Samambaia também teve um crescimento forte: de quatro para sete no mesmo período.

0

Comércio

Na semana passada, a reportagem do Metrópoles percorreu as ruas de Ceilândia, antes da liberação de parte do comércio. E a desobediência por parte de lojistas era gritante. Diversos estabelecimentos estavam funcionando, às vezes, usando de artifícios como portas entreabertas para fugir da fiscalização.

Dos oito óbitos registrados na segunda-feira (18/05) pela pasta, dois eram de moradores de Ceilândia. Uma tinha 73 anos, estava internada no Hospital Regional da Asa Norte e faleceu no sábado (16/05). A paciente sofria de hipertensão e pneumonia, condições consideradas como comorbidades.

A outra residente da região administrativa tinha 56 anos e estava internada no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). Ela era hipertensa e diabética.

Também na semana passada, o Hospital Regional de Ceilândia (HRC) teve que passar por desinfecção após o registro de 10 servidores contaminados pela doença. A preocupação tornou-se ainda maior porque todos os profissionais trabalhavam na unidade de terapia intensiva (UTI) do local.

De acordo com a Secretaria de Saúde, eram quatro técnicos de enfermagem, quatro fisioterapeutas, um médico e um enfermeiro. Dois deles estão internados e os demais recebem suporte da equipe de medicina do trabalho e cumprirão quarentena de 14 dias, de acordo com protocolos definidos pela pasta.

Confira as 10 cidades do DF com mais mortes pela Covid-19:

  • Ceilândia – 14
  • Samambaia – 7
  • Águas Claras – 5
  • Guará – 5
  • Gama – 4
  • Planaltina – 4
  • Santa Maria – 4
  • Recanto das Emas – 3
  • Riacho Fundo I – 3
  • Taguatinga – 3

Na segunda-feira (18/05), um número recorde de mortes provocadas pela Covid-19 no DF chamou atenção. Nos dados fornecidos às 18h10 daquele dia, oito óbitos tinham sido computados pela Secretaria de Saúde nas últimas horas.

Assim, a capital do país chegou a 66 falecimentos pelo coronavírus. Quatro vítimas moravam em cidades do Entorno. De acordo com o balanço, 4.618 pessoas foram diagnosticadas com a doença na capital do país e 2.506 (54,3%) se recuperaram.

Ao todo, 288 pessoas estão internadas em hospitais em decorrência do novo coronavírus, sendo que 121 precisam do suporte de unidades de terapia intensiva (UTIs).

Últimas notícias