metropoles.com

Bares, restaurantes e hotéis preveem mais demissões com lockdown no DF

Segundo representantes do setor produtivo, novo fechamento vai gerar complicações graves para o setor e muitas empresas fecharão as portas

atualizado

Compartilhar notícia

Rafaela Felicciano/Metrópoles
Bar
1 de 1 Bar - Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Após o Governo do Distrito Federal (GDF) confirmar a ampliação do lockdown para conter a pandemia do novo coronavírus, nesta sexta-feira (26/02), o setor de bares, restaurantes e hotéis diz que não conseguirá manter todos os postos de trabalho.

Conforme o decreto, boa parte das áreas de comércio e serviços deverão fechar as portas a partir das primeiras horas de domingo (28/2), quando a norma entra em vigor. A medida inclui estabelecimentos comerciais, de qualquer natureza, inclusive bares, restaurantes e afins;

Segundo o presidente do Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antônio da Silva, as demissões serão invitáveis.

O setor buscava negociar com o GDF a flexibilização do lockdown anterior, quando as atividades seriam suspensas das 20h e 5h. Mas, nas palavras de Jael, o Palácio do Buriti estava intransigente. Nesta sexta, o governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou suspensão total das atividades econômicas, mantendo apenas as consideradas essenciais.

“Agora, por incompetência do governo que deixou as coisas chegarem a esse ponto, vamos fechar. Cadê os leitos para Covid prometidos? Chegamos ao ponto de ter apenas um leito vago?”, questionou.

“Vamos cumprir o decreto. Mas chega de fazer parte desse joguete. Vamos protestar o tempo todo. A insegurança jurídica para nosso ramo chegou ao limite”, afirmou.

Para o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Brasília (Abrasel-DF), Beto Pinheiro, a situação do DF é inimaginável. Segundo ele, o governo precisa cuidar das vidas da população, do setor produtivo e dos empregos.

“Eu nunca imaginei que, com a situação financeira do DF, com todos os recursos que o DF tem no caixa, se você olhar a arrecadação de 2020, que a gente chegaria nessa situação de faltar leito para a população“, lamentou.

“Muitas empresas vão quebrar. Muita gente vai ficar desempregada, de novo. O que GDF vai fazer por esse cidadão sem emprego? Qual é ajuda efetiva para o empresário que não vai ter condições de pagar suas contas?”, perguntou.

Segundo o Sindhobar, o setor sofreu 19 mil demissões e 3 mil empresas fecharam as portas, desde o começo da crise da pandemia.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações