Após União descumprir prazo, Saúde diz que fornecerá remédio a bebê com AME

Justiça havia dado prazo até essa quarta (25/8) para que a União fornecesse medicamento a Marjorie de Sousa. Ordem ainda não foi cumprida

atualizado 26/08/2021 17:27

Bebê Marju, com AMEReprodução/Instagram

Após vencer o prazo para que a União fornecesse o medicamento Zolgensma para a bebê Marjorie de Sousa, de 1 ano e 5 meses, o Ministério da Saúde informou, nesta quinta-feira (26/8), que cumprirá a ordem da Justiça Federal que determinou a aplicação do medicamento na criança.

Em nota enviada ao Metrópoles nesta tarde, a pasta destacou que “vai cumprir a decisão judicial”. “Cabe ressaltar que a pasta nunca deixou de cumprir nenhuma decisão judicial para o fornecimento do medicamento Zolgensma”, diz o texto.

Marju, como é carinhosamente conhecida, foi diagnosticada com Atrofia Muscular Espinhal (AME), doença genética rara que ataca o sistema motor e compromete também o sistema respiratório dos pacientes.

No início de agosto, a Justiça Federal determinou que a União custeasse o remédio. A decisão é do juiz federal Eduardo Luiz Rocha Cubas, da Subseção Judiciária de Formosa (GO). O magistrado deu prazo de 15 dias para cumprimento, mas a ordem não foi acatada.

Na sentença, o magistrado determinou que a União fornecesse à menina o Zolgensma, na forma da prescrição médica, bem como o custeamento de todas as despesas hospitalares relacionadas à infusão da medicação, honorários médicos, transporte até a cidade de aplicação do remédio e hospedagem pelo tempo necessário de estadia no local.

A reportagem teve acesso a um e-mail no qual a Procuradoria da União no Estado de Goiás confirma o recebimento da intimação em 4 de agosto. Confira:

O Metrópoles procurou a Justiça Federal, em Goiás, que confirmou que a União foi intimada por e-mail, por intermédio da Procuradoria da União no Estado de Goiás. “A tutela de urgência concedida na sentença, a qual determinou o fornecimento do medicamento Zolgensma, não foi cumprida pela União no prazo estabelecido de 15 dias corridos”, detalhou, em nota enviada à reportagem nessa quarta-feira (25/8).

“Em razão desse fato, uma nova decisão foi proferida na segunda-feira (23/8), a qual determinou que a União realizasse o fornecimento do medicamento Zolgensma no prazo de 48h, sob pena de aplicação de multa diária no valor de R$ 10 mil”, informou.

Mesmo após a nova ordem judicial, a menina ainda não recebeu o medicamento. Segundo a advogada da família de Marjorie, Graziela Costa Leite, caso não seja cumprida agora, a defesa pedirá a penhora das contas bancárias da União.

Nesta quinta-feira (26/8), a mãe da menina, Érica Francisca de Sousa, 24, publicou um apelo nas redes sociais, pedindo para que a União cumprisse a determinação. “É um sentimento de angústia, o medo toma conta, porque a gente luta contra o tempo. Cada dia que passa e a União não dá um parecer, a gente fica meio que perdido, porque é um dia que a Marjorie perde”, lamentou ao Metrópoles.

Confira a publicação no Instagram:

Relembre o caso

Marjorie deu início ao tratamento no Hospital da Criança de Brasília (HCB) e passou nove meses internada, até conseguir o tratamento tipo home care fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Érica precisou mudar-se de Formosa para Planaltina, com o bebê e o primogênito, Davi, 6 anos.

Sem suporte, a família da pequena Marju também iniciou uma campanha para conseguir os R$ 12 milhões. Chegou a arrecadar R$ 115,9 mil, valor ainda muito distante do necessário para custear o medicamento.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Mais lidas
Últimas notícias