Aos 56 anos, professora da rede pública morre vítima da Covid-19 no DF

Dalva era professora de atividades e atuava na regional de Brazlândia, na Escola Classe 01, no Incra 8

atualizado 16/06/2021 14:39

Professora vítima da CovidDivulgação/Sinpro-DF

O Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) emitiu nota, nesta quarta-feira (16/6), lamentando a morte da professora Dalva Maria de Carvalho Rodrigues (foto em destaque), 56 anos, vítima do novo coronavírus, no fim da última semana.

Dalva era professora de atividades e atuava na regional de Brazlândia, na Escola Classe 01, no Incra 8, e morreu no Hospital de Campanha de Ceilândia.

“A diretoria colegiada do Sinpro expressa suas sinceras condolências aos amigos e à família de Dalva”, finaliza o comunicado.

Volta às salas de aula

Conforme noticiado pelo Metrópoles, os professores da rede pública estão resistentes a voltar às aulas presenciais em agosto, como previsto pela Secretaria de Educação. Os docentes entendem que muitos ainda não terão tomado a segunda dose da vacina contra a Covid-19 e, portanto, não aceitarão ser expostos à infecção.

“Não voltamos sem a vacina. E, no ritmo em que estamos, não vamos conseguir concluir até agosto”, alertou a diretora do Sindicato dos Professores do DF, Rosilene Correa. “Há uma morosidade no processo de imunização e isso distancia o retorno das aulas presenciais”, pontuou.

A previsão do GDF é imunizar toda a categoria com a dose única da vacina da Janssen. Havia a expectativa de que o imunizante fosse chegar ao Brasil na terça-feira (15/6), mas a entrega está atrasada e não há nova data.

Últimas notícias