Abaixo-assinado no DF pede que personal perca registro profissional

Por volta das 17h desta quinta, a petição on-line contava com cerca de 150 assinaturas. Henrique Paulo agrediu um síndico em Águas Claras

atualizado 24/03/2022 17:29

Reprodução

Síndicos e moradores de Águas Claras uniram-se em um abaixo-assinado para cobrar que o Conselho Regional de Educação Física casse o registro profissional de Henrique Paulo Sampaio Campos, de 49 anos, personal que agrediu o síndico Wahby Khalil, 42, durante uma discussão por conta de um saco de box, no último dia 17/3.

Além disso, eles pedem censura pública contra o educador físico. Por volta das 17h desta quinta-feira (24/3), a petição on-line contava com cerca de 150 assinaturas (clique aqui para acessar).

0

Em nota, a Associação de Moradores e Amigos de Águas Claras (AMAAC) disse apoiar a medida. “A AMAAC está apoiando uma petição a ser encaminhada ao CREF para que ele apure com rigor o que aconteceu e, se confirmado o que as imagens mostram, tomem as medidas administrativas com relação ao exercício legal da profissão”, informa.

Alta médica

Após seis dias internado, o síndico recebeu alta médica na tarde de terça-feira (22/3), do Hospital Santa Lúcia, na Asa Sul.

Confira fotos da alta do síndico:

0

 

Khalil passou por cirurgia odontológica no sábado (19/3) e seguia em observação desde então. Segundo o próprio síndico, ele teve hemorragia cerebral por causa da agressão; além disso, ficou com os dentes moles.

Ao deixar a unidade de saúde, Khalil disse que não “carrega mágoas” do personal. “Não carrego nenhuma dor em relação a essa situação. Pelo contrário, eu carrego dentro de mim a esperança de alguém que errou e pode fazer o bem, pode corrigir. Acredito muito nas pessoas e eu aprendi isso a minha vida inteira. Dentro de mim, eu não sei o que é essa dor de ter mágoa de alguém”, disse.

Questionado sobre o que deseja para o agressor, o síndico diz que “a Justiça existe para isso e para corrigir o que se fez de errado”.

O lutador e personal trainer apresentou-se na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), somente na segunda-feira (21/3). O Metrópoles apurou que Henrique compareceu à unidade policial, acompanhado do advogado, mas não respondeu a questionamentos. O inquérito policial deve ser concluído nos próximos dias.

Relembre o caso

O lutador bateu no síndico Wahby depois dele ter pedido a Henrique que retirasse um saco de box da academia do prédio, já que o teto estaria sendo danificado pelo peso do material.

Assim que o lutador desfere o soco, o síndico cai no chão. Ele fica alguns segundos imóvel, mas não recebe ajuda do agressor ou do funcionário do condomínio.

A defesa de Khalil vai ingressar com ação na Justiça cobrando indenização por danos morais à vítima. Segundo Edson Alexandre, advogado do condomínio e do síndico, caso Khalil fique com sequelas, a defesa também pedirá indenização por danos estéticos.

Veja o vídeo do momento da agressão:

Mais lidas
Últimas notícias