Existe escola ideal? Saiba o que considerar na hora da matrícula

Proposta pedagógica, corpo docente, infraestrutura e atividades extracurriculares são alguns pontos que devem ser analisados. Veja mais

Nicole Honeywill, UnsplashNicole Honeywill, Unsplash

atualizado 19/10/2019 22:29


O conceito de escola ideal é bastante amplo. Ele pode variar de pessoa para pessoa, dependendo dos objetivos de cada um. Algumas instituições vão enfatizar mais em uma boa colocação de seus alunos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgando altos índices de aprovação como estratégia de marketing, enquanto outras optam pelo ensino de línguas, dentre diversas atividades. No entanto, na hora de escolher a melhor instituição para matricular o estudante, o que realmente deve pesar na decisão de pais e responsáveis?

Segundo a especialista formada pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB) Maria Mônica Pinheiro Cavalcanti, a escola ideal é aquela que dispõe de um suporte pedagógico capaz de promover avanços no processo de aprendizagem individual de cada aluno. “É preciso considerar a gama de vivências e  processos de subjetivação de cada estudante”, explica. Isso inclui o histórico de vida escolar e também as aspirações que o aluno possa ter quanto à escolha do curso superior e futura atuação profissional.

Mônica explica que o processo escolar não é fruto de uma ação específica e isolada da instituição de ensino. “Não se pode negar a necessária articulação entre espaço escolar, especialmente focalizado na construção e sistematização de conhecimentos culturalmente relevantes no sistema de vida social,  e o mais amplo espaço de vida pessoal de cada estudante”, analisa a especialista.

O que considerar?
Diversos pontos devem ser levados em consideração ao tomar a importante decisão de matricular os filhos em determinada escola. Por meio de uma pesquisa avançada, os pais podem conhecer melhor o projeto pedagógico dos colégios, considerado um norte quanto à continuidade do processo educativo e que, portanto, deve ser regularmente acompanhado pelo estudante e pela família.

Visitas e reuniões presenciais também são essenciais para verificar infraestrutura, corpo docente e atividades extracurriculares. “Observar momentos de aula, de recreio, a forma como profissionais e estudantes interagem, entre outros fatores, é muito importante para dar subsídio às análises de cada família”, pontua Mônica. 

Ela observa que a escola ideal vai muito além da simples preparação acadêmica dos alunos. Hoje, os espaços de educação devem estar alinhados com as tendências da juventude. Segundo Matheus Kaiser, coordenador pedagógico de ensino médio de uma instituição brasiliense, a atual geração é multitarefas e, por isso, pode ser conhecida como a geração do “e” e não mais do “ou”. Isso significa que aptidões, interesses e até formações se somam. “O aluno é engenheiro e músico, agrônomo e publicitário ou atleta. Essa geração tem na sua essência a possibilidade de ser mais de uma coisa ao mesmo tempo”, afirma o profissional.

Por isso, ele acredita que as escolas devem estar muito mais conectadas com as demandas dos jovens para poder correspondê-las, seja preparando-os para passar em processos seletivos de universidades brasileiras ou do exterior, seja promovendo qualquer outra formação. “Hoje em dia fala-se muito na personalização do ensino. Ou seja, é preciso entender o indivíduo como um ser único com suas potencialidades”, conclui.

Educação do Amanhã 2019
Lançado em 2018 pelo Metrópoles, o projeto Educação do Amanhã tem o objetivo de discutir novas metodologias e conceitos do processo educativo, além de estimular novas habilidades nos jovens do século 21.

Neste ano, ao longo de duas semanas, o portal publicará uma série de conteúdos relacionados às mudanças na área da educação: o que esperar da escola do futuro, o universo tecnológico e as tendências no processo de aprendizagem. Além, é claro, do novo papel do professor diante deste cenário repleto de desafios.

A iniciativa tem patrocínio da Casa Thomas Jefferson, Colégio Ideal, Colégio Objetivo, AISEC e Colégio Marista João Paulo II.

O encerramento do projeto será marcado com a realização de um seminário no auditório do Edifício Íon, na SQN 212, Asa Norte (DF), que incluirá palestras inspiracionais, impactantes e reflexivas sobre como o processo educacional está em transformação nos dias atuais.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo Sympla. Confira as palestras:

Educação para o século XXI
Palestrante: Rui Fava

A sala de aula inovadora
Palestrante: Fausto Camargo

Culturas de pensamentos e investigação na escola
Palestrante: Clarissa Bezerra

Últimas notícias