Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

“Não está fácil”, diz gestor de hospital do SUS sobre recorde de mortes

Paulo Taitson preside a Fundação Hospitalar São Francisco de Assis, em Belo Horizonte, e fez desabafo a colegas em grupo de WhatsApp

atualizado 16/06/2021 21:10

Reprodução / Internet

Presidente da Fundação Hospitalar São Francisco de Assis (HSSFA) – considerado o 20º maior hospital do Sistema Único de Saúde (SUS) do país –, o pós-doutor Paulo Taitson fez um desabafo, na noite desta quarta-feira (16/6), após o Brasil alcançar novo recorde de mortos diários pela Covid-19. A unidade funciona em Belo Horizonte (MG).

O mais recente boletim registrou 2.997 mortes nas últimas 24 horas por complicações do novo coronavírus. Com a divulgação oficial dos números, o gestor voluntário encaminhou uma mensagem em grupo de WhatsApp para colegas. Na gravação, além de falar sobre as dificuldades, comentou sobre a velocidade do uso de insumos hospitalares vitais para pacientes infectados pela doença.

“Confesso que não está nada fácil. Olha esses números aí em cima. Toda hora é isso e aí fica tudo lotado. Fica difícil conseguir remanejamento de leitos. Os hospitais não estão rodando. Está difícil dar alta. A pressão está muito grande e a manutenção dos insumos por apenas 15 dias, na média em todo o Brasil, sendo que o ideal seria uns 30, no mínimo. Força! Vamos lá”, gravou.

Na unidade hospitalar filantrópica, há 100% de lotação para leitos de Covid-19, tanto na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) quanto de enfermaria. Atualmente, mais de 30 pessoas aguardam na regulação da capital de Minas Gerais a liberação de uma vaga na rede pública para tratar a doença.

Ouça o áudio:

Mortes no país

As quase três mil mortes foram notificadas apenas de ontem até hoje. Com relação à média móvel, índice extraído com base nos últimos 15 dias, o Brasil registrou 2.025 óbitos por Covid-19.

Desde o dia 10 de maio, o indicador não ultrapassava a marca de 2 mil. Em comparação com o verificado há 14 dias, houve variação de 11,5%, sinalizando uma estabilidade nas alturas nas mortes confirmadas.

Em Belo Horizonte, houve registro de 30 mortes pela doença nas últimas 24 horas, uma queda com relação à média móvel divulgada na terça-feira (15/6), quando foram notificadas 50 óbitos pelo Sars-Cov-2.

 

Últimas notícias