Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Pedido de Lewandowski a Alcolumbre atrapalha ainda mais André Mendonça

Após pedido de informações do ministro do STF, o senador argumenta que a marcação da sabatina não depende mais de decisão exclusivamente sua

atualizado 22/09/2021 12:39

Metrópoles

O pedido de explicações ao senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) feito pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deve atrasar ainda mais a marcação da sabatina de André Mendonça na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, onde está travada há mais de um mês.

Presidente da CCJ, Alcolumbre usou o pedido de Lewandowski para argumentar que o caso agora está sub judice e, por isso, a marcação da sabatina não depende mais de uma decisão exclusivamente sua. “O que era para acelerar a sabatina acabou atrasando ainda mais”, disse à coluna um aliado do parlamentar.

Em despacho de uma linha proferido na terça-feira (21/9), Lewandowski solicitou que Alcolumbre explicasse por que ainda não marcou a sabatina de Mendonça. O ministro do STF não estipulou prazo, mas a lei sobre mandados de segurança estabelece que a resposta deve ser enviada em até 10 dias.

Após a resposta do ex-presidente do Senado, Lewandowski ainda pretende pedir parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR). O órgão é comandado por Augusto Aras, nome pelo qual Alcolumbre vem trabalhando para emplacar como ministro do Supremo, no lugar de Mendonça.

A solicitação de Lewandowski foi feita no âmbito do mandado de segurança protocolado pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) para tentar obrigar Alcolumbre a pautar a sabatina. O pedido de Vieira e Kajuru foi antecipado pela coluna.

Últimas notícias