Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Kassab faz mistério sobre eleição em SP após desistência de Datena

Antes do anúncio do apresentador, Kassab admitia estarem avançadas as conversas para o PSD apoiar o ex-ministro Tarcísio de Freitas

atualizado 30/06/2022 19:13

Atual presidente do PSD, Gilberto KassabMarcelo Camargo/Agência Brasil

Presidente nacional do PSD, o ex-ministro Gilberto Kassab passou a fazer mistério sobre a posição de seu partido nas eleições deste ano em São Paulo, após o apresentador José Luiz Datena (PSC) desistir de disputar o Senado.

Até antes do anúncio de Datena, na tarde desta quinta-feira (30/6), Kassab admitia estarem avançadas as negociações para o PSD apoiar o ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) ao governo paulista.

Pelo acerto até então, o partido apoiaria a candidatura de Tarcísio ao Palácio dos Bandeirantes em troca de indicar o vice-governador e o primeiro suplente de Datena na chapa.

Além do ex-ministro da Infraestrutura do governo Jair Bolsonaro, Kassab vinha negociando ainda uma possível aliança do PSD com o ex-governador Márcio França (PSB), também pré-candidato ao governo de São Paulo.

Após Datena anunciar a desistência, dirigentes do Republicanos passaram a procurar Kassab insistentemente. O presidente do PSD, no entanto, evitou atender as ligações e responder mensagens.

De acordo com aliados, o dirigente partidário pretende aguardar a decisão do apresentador decantar no meio político, para só então anunciar sua decisão sobre a disputa no estado.

Por ora, interlocutores de Kassab dizem que o PSD mantém a pré-candidatura do ex-prefeito de São José dos Campos Felício Ramuth ao governo paulista.

Guerra no bolsonarismo

Como a coluna noticiou nessa quinta, a desistência de Datena animou o PT e disparou a guerra entre bolsonaristas pela vaga ao Senado na chapa de Tarcísio.

Disputam o posto nomes como os deputados federais Carla Zambelli (PL-SP) e Marco Feliciano (PL-SP), a deputada estadual Janaina Paschoal (PRTB) e o empresário Paulo Skaf (Republicanos).

No PT, a aposta é de que a saída do apresentador deve ajudar a convencer Márcio França a desistir de concorrer ao Palácio dos Bandeirantes para apoiar o ex-prefeito petista Fernando Haddad.

Mais lidas
Últimas notícias