Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Aliados usam Datafolha para defender volta de Doria à eleição

Desempenho de Simone Tebet (MDB) fez aliados do ex-governador de São Paulo pregarem tese de que ele pode voltar à corrida presidencial

atualizado 27/05/2022 15:06

João DoriaIgo Estrela/Metrópoles

A pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (26/5) animou aliados de João Doria no PSDB a defenderem o retorno do ex-governador paulista à corrida presidencial deste ano.

Tucanos próximos a Doria apontam a estagnação da senadora Simone Tebet (MDB), que oscilou de 1% para 2% no levantamento, como sinal de que a emedebista não é o melhor nome da terceira via ao Palácio do Planalto.

Internamente, aliados argumentam que, com as desistências de outros nomes do centro na disputa, o ex-governador de São Paulo teria um crescimento mais substancial no levantamento.

Segundo o presidente municipal do PSDB em São Paulo, Fernando Alfredo, projeções feitas pelo grupo de Doria apontam que o ex-governador poderia aparecer com até 6% no levantamento do Datafolha.

“(O Datafolha) Só mostra que o único candidato que tinha condição de crescimento e rompe essa bolha é o João Doria. Ele certamente nessa pesquisa iria aparecer com 6%, que é o que a gente tem nas pesquisas internas”, afirmou Alfredo à coluna.

Doria pode voltar

Como mostrou a coluna, uma ala do PSDB ainda acredita que, caso Tebet não decole nas pesquisas nos próximos meses, a legenda pode voltar a aposta em Doria para o Palácio do Planalto.

Outra ala do PSDB, liderada pelo deputado Aécio Neves (PSDB-MG), também defende que a sigla não se alie ao MDB. A diferença é que eles defendem o ex-governador gaúcho Eduardo Leite como o candidato tucano.

Diante da divisão interna, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, adiou novamente a reunião da executiva do partido que bateria o martelo sobre o apoio a Tebet. O encontro, previsto para 2 de junho, não tem data para acontecer.

Mais lidas
Últimas notícias