Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Viagem do governo Bolsonaro a Dubai bancaria 100 bolsas de mestrado

Com 69 pessoas, comitiva do governo Bolsonaro custará pelo menos R$ 3,6 milhões aos cofres públicos

atualizado 14/10/2021 16:39

Jorge Seif, secretário da pesca, em viagem oficial a DubaiReprodução

O custo milionário da comitiva do governo Bolsonaro para Dubai bancaria pelo menos cem bolsas completas de mestrado pelo Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que vem amargando cortes orçamentários. Com 69 servidores, a viagem para a Expo Dubai, do setor de turismo, custará pelo menos R$ 3,6 milhões aos cofres públicos.

O levantamento de gastos da comitiva de nove ministérios e da Vice-Presidência foi divulgado nesta quinta-feira (14/10) pelos repórteres Natália Portinari, Daniel Gullino e Naira Trindade. A viagem para Dubai, que já custou até o momento R$ 1,17 milhão, terá 24 pessoas do governo a mais do que a Assembleia Geral da ONU, em Nova York no mês passado.

Uma bolsa completa de mestrado do CNPq sai por no máximo R$ 36 mil: são R$ 1.500 mensais por até dois anos. O valor é 1% do custo mínimo da viagem à Expo Dubai.

Na semana passada, a comunidade científica brasileira recebeu mais uma má notícia do governo Bolsonaro. A pedido do Ministério da Economia, o Congresso retirou 87% da verba do Ministério de Ciência e Tecnologia: de R$ 690 milhões, despencou para R$ 89 milhões.

Antes desse corte, o CNPq já acumulava derrotas. Em 2021, o principal órgão de fomento à pesquisa no país recebeu R$ 1,21 bilhão de orçamento, o número mais baixo em 21 anos. Em 2013, o valor chegou a R$ 3,13 bilhões.

Outro dado que mostra a desvalorização dos estudantes acadêmicos: os valores das bolsas para mestrado e doutorado não são reajustados há oito anos. Isso faz com que a bolsa mensal de R$ 1.500 para mestrado seja ainda mais baixa e esteja apenas R$ 300 acima do salário mínimo.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna