Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

O desagrado do governador do RJ com as investigações do MPRJ

MPRJ prendeu mais de 15 agentes de segurança pública envolvidos em esquemas de corrupção apenas em maio

atualizado 28/05/2022 10:29

Na imagem colorida, um homem está posicionado no centro. Ele tem cabelos curtos, pele clara e olha seriamente para a frenteLuis Alvarenga/Divulgação

As últimas operações do Ministério Público do Rio de Janeiro, que tinham como alvo agentes da Polícia Civil e Militar, não agradaram o governador Cláudio Castro. Candidato à reeleição pelo PL, Castro considera que as operações mancham a imagem das corporações e impactam em seu discurso eleitoral sobre os êxitos na segurança pública.

Só em maio, o MPRJ prendeu mais de 15 agentes de segurança do estado, entre eles delegados, inspetores, coronéis e cabos. Pelo menos outros 20 estão sob investigação. Castro considera que a publicidade em torno desses casos é ruim para seu discurso em defesa de uma “polícia firme” contra criminosos de facções.

Em seu Instagram, Cláudio exalta, por exemplo, ações da Polícia Civil que apreenderam materiais furtados em ferros-velhos, operações em comunidades, como a da Vila Cruzeiro, que resultou na morte de 25 pessoas, mas não menciona as ações do MPRJ para prender agentes de segurança do estado envolvidos em esquemas de corrupção.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna