Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Ministério diz que Planalto não pediu parecer para dispensar máscara

Bolsonaro afirmou em junho ter solicitado estudo para desobrigar uso de proteção facial para vacinados ou já contaminados

atualizado 03/07/2021 15:37

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, ao lado do presidente Jair Bolsonaro , durante apresentação das ações para desburocratização e atração de investimentos para setor de turismo 4Igo Estrela/Metrópoles

O Ministério da Saúde afirmou à coluna que não recebeu qualquer pedido do Palácio do Planalto para elaborar pareceres sobre a dispensa do uso de máscara para vacinados ou contaminados por Covid-19, o que contraria o que disse Jair Bolsonaro.

Em 10 de junho, o presidente afirmou ter feito a encomenda a Marcelo Queiroga: “Acabei de conversar com um tal de Queiroga. Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados”.

No mesmo dia, Queiroga confirmou a versão, dizendo que Bolsonaro pediu um estudo sobre o relaxamento do uso da proteção facial.

Nesta sexta-feira, porém, o ministério disse que não houve solicitação formal para a produção de qualquer parecer do tipo. A informação foi passada à coluna, por meio da Lei de Acesso à Informação.

Ou seja, se há algum parecer, não está sendo feito oficialmente por técnicos do Ministério da Saúde.

(Atualização às 15h40 de 3 de julho de 2021: O Ministério da Saúde declarou que faz um estudo para “avaliar a flexibilização do uso de máscara com o avanço da vacinação no Brasil, assim como já ocorre em outros países”, em revisão pela Universidade Federal de São Paulo.)

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna