Entidade aciona Bolsonaro no MPF por tirar máscara de criança

Rede Nacional Primeira Infância diz que é “lamentável uma atitude dessa em um país que já perdeu mais de 500 mil cidadãos para a Covid-19”

atualizado 30/06/2021 19:08

Reprodução

A Rede Nacional Primeira Infância (RNPI) ingressou com representação no Ministério Público Federal (MPF) contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), por causa da postura adotada por ele em visita ao Rio Grande do Norte, quando tirou a máscara de uma criança.

“A RNPI manifesta por meio da representação e desta nota sua reprovação pela atitude do Sr. Jair Messias Bolsonaro, Presidente da República, de tirar a máscara de uma criança e solicitar que outra criança tirasse a própria máscara em evento ocorrido na última semana no Rio Grande do Norte”, diz a nota.

Em visita ao Rio Grande do Norte na última quinta-feira (24/6), Bolsonaro abaixou a máscara de uma criança que tinha pegado no colo ao cumprimentar apoiadores. No mesmo evento, ela incentivou uma menina de 10 anos a retirar a sua proteção facial.

A direção disse que é “lamentável uma atitude dessa em um país que já perdeu mais de 500 mil cidadãos para a Covid-19”.

“Completaremos em 2021 o trigésimo primeiro aniversário do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e a atitude da autoridade máxima deste país é uma clara violação às leis de proteção dos direitos das crianças e adolescentes, uma vez que o artigo 5º do ECA determina que ‘nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais’”, diz o comunicado.

Mais lidas
Últimas notícias