Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Líder do governo Bolsonaro ficou R$ 3 milhões mais rico desde 2018

Ricardo Barros, líder do governo Bolsonaro na Câmara e pivô do escândalo da Covaxin, enriqueceu R$ 3 milhões nos últimos quatro anos

atualizado 10/08/2022 13:58

Ricardo Barros, líder do governo na Câmara Igo Estrela/Metrópoles

O líder do governo Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros, do PP do Paraná, ficou R$ 3 milhões mais rico nos últimos quatro anos. Pivô do escândalo da Covaxin, o parlamentar informou ao TSE, em 2018, ter R$ 5.529.650 em bens. Em 2022, registrou a candidatura à reeleição com R$ 8.753.932 de patrimônio.

Entre 2018 e 2022, Barros também adquiriu o curioso hábito de guardar dinheiro em espécie em casa.

Presidente, governador e senador: veja quem são os pré-candidatos nas Eleições 2022

Em 2014 e 2018, o deputado não declarou guardar dinheiro vivo. Já em 2022, registrou no TSE R$ 420.500 em espécie.

Segundo consta no portal de divulgação de contas dos candidatos às eleições de outubro, Barros tem R$ 2.425.120 em ações.

O montante total declarado como “outros bens e direitos” é de R$ 2.741.770, sem discriminação do que se trata.

Já em crédito advindo de empréstimo, Barros declarou ter R$ 2.981.892. O líder do governo declarou também dois terrenos, um de R$ 60 mil e outro de R$ 30 mil, uma sala comercial no valor de R$ 26.648 e um apartamento de R$ 130 mil.

O deputado, que recebe R$ 33.763 da Câmara é candidato à reeleição pelo PP do Paraná.

Procurado, Barros não respondeu à coluna sobre o crescimento de seu patrimônio. O espaço está aberto para manifestações.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna