Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Hang aportou R$ 6 milhões em projetos da Rouanet nos últimos dois anos

Dono das lojas Havan e apoiador de Jair Bolsonaro, o empresário Luciano Hang fez doações via Lei Rouanet que superam R$ 23 milhões

atualizado 07/01/2022 14:06

Luciano Hang depõe na CPIRafaela Felicciano/Metrópoles

A Lei Rouanet foi criticada mais uma vez por Bolsonaro nesta semana, mas o mecanismo de financiamento cultural tem sido usado com frequência por um dos principais aliados do presidente. Nos últimos dois anos, o empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan, aportou mais de R$ 6 milhões em projetos autorizados a captar recursos pela legislação.

O total de doações feitas por Hang por meio da Lei Rouanet supera R$ 23 milhões. Empresas que financiam projetos com o mecanismo podem abater parte do valor investido do imposto de renda.

0

O empresário contribuiu com 266 ações culturais, sendo a maioria proveniente de Santa Catarina. Entre elas, estão doações de R$ 240 mil para a produção do CD e do DVD do cantor Cesar Santoro e de outros R$ 250 mil para um documentário sobre a vitória de Luiz Henrique da Silveira na eleição de 2002 para o governo catarinense.

Segundo o sistema de consulta da Lei Rouanet, o prazo de captação para o documentário já foi renovado três vezes, enquanto o cantor Cesar Santoro teve o prazo de captação para o seu projeto estendido por quatro vezes. As últimas autorizações foram concedidas no início deste ano.

Em dezembro, a coluna mostrou que produtores culturais enfrentavam dificuldades no fim do ano passado para conseguir renovar a autorização para captar recursos. Há uma desconfiança geral de que Mario Frias age de forma intencional para impedir as renovações ao não analisar os projetos.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna