Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Fachin e Moraes fazem transição do comando da Justiça Eleitoral

Ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes têm dado declarações públicas para rebater ameaças de Jair Bolsonaro às eleições

atualizado 29/06/2022 11:19

Daniel Ferreira/Metrópoles

Os ministros Edson Fachin, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e Alexandre de Moraes, o sucessor, iniciaram a transição do comando da Justiça Eleitoral. A passagem de bastão começou oficialmente no último dia 15, mas na prática já funcionava há meses.

Moraes assumirá a presidência da corte em 16 de agosto. Nos últimos meses, o ministro tem acompanhado diversas agendas de Fachin no comando do tribunal, a exemplo de reuniões com presidentes de partidos.

As equipes dos dois ministros têm se encontrado frequentemente. Na segunda quinzena de julho, os técnicos farão reuniões maiores, com todos os setores estratégicos do TSE, para alinhar os trabalhos.

Fachin e Moraes têm dado declarações públicas para rebater ameaças de Jair Bolsonaro às eleições. Quando foi formalmente eleito para o comando do TSE, no último dia 14, disse Moraes para Fachin:

“A Justiça Eleitoral não permitirá que milícias, pessoais ou digitais, desrespeitem a vontade soberana do povo e atentem contra a democracia no Brasil. E para isso, presidente, sabemos nós todos da Justiça Eleitoral que podemos contar com os outros poderes e órgãos republicanos do nosso país”.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna