Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Desconfiadas de Alckmin, alas do PSB incentivam França na vice de Lula

Diretório de São Paulo do PSB é um dos grupos que aconselhou Márcio França a se postular como candidato a vice de Lula

atualizado 01/12/2021 23:56

Candidato Márcio FrançaFernanda Luz/Divulgação

Alas do PSB que desconfiam da filiação de Geraldo Alckmin ao partido pediram para que o ex-governador Márcio França também se apresente como potencial candidato a vice de Lula em 2022.

O PSB deixou claro ao PT que a filiação de Alckmin seria um favor prestado à candidatura de Lula. Até o momento, a direção do partido se reuniu com os dirigentes de diretórios estaduais para discutir a questão Alckmin. O debate está restrito à alta cúpula da sigla e à imprensa.

Sem a internalização da proposta, alas do PSB entendem que a escolha de um político orgânico para a vice faria mais sentido. O diretório de São Paulo é um dos que tentam incentivar França a levar o nome para consulta da direção.

Para esses dirigentes paulistas, o fato de França ter ficado sem cargo nos últimos anos tornará esta eleição estadual mais difícil do que a de 2018, quando ele chegou ao segundo turno contra João Doria. Se França saísse como vice, o diretório entende que Alckmin poderia concretizar o desejo de ser candidato ao governo de São Paulo pelo PSB.

França não esconde de ninguém que gosta da ideia de ser vice de Lula. Em São Paulo, as convenções municipais do PSB serão no dia 12 de fevereiro, enquanto a estadual ocorrerá em 12 de março. Essas datas são vistas como limites para Alckmin definir se irá acertar a filiação ao partido e se firmará a parceria com Lula.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna