Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Centrais sindicais dizem a Alckmin que o apoiam como vice de Lula

As centrais sindicais veem com bons olhos a aproximação entre Alckmin e Lula e deixaram clara sua posição em reunião realizada hoje

atualizado 29/11/2021 16:58

Geraldo AlckminFilipe Cardoso/Metrópoles

Os presidentes de quatro das maiores centrais sindicais do Brasil se reuniram nesta segunda-feira com o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para declarar apoio à possibilidade dele ser vice na chapa do ex-presidente Lula. Para os participantes, a chapa é uma boa ideia pelo bom trânsito que o ainda tucano tem com elas.

Participaram da reunião representantes da Força Sindical, da Nova Central Sindical de Trabalhadores, da União Geral dos Trabalhadores e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil.

De acordo com Miguel Torres, presidente da Força Sindical, Alckmin não confirmou a intenção, mas também não fechou a porta. “Ele deu a entender que é um bom negócio”, acrescentou.

A conversa durou mais de uma hora. Depois de algum tempo, Alckmin contou que tinha se preparado para voltar a ser governador, “mas que teve esse fato novo a nível federal”. “Ele sinalizou a importância, o olho dele brilhou”, avaliou Torres.

0

O destino de Alckmin definirá qual partido ele se filiará após consumar a saída do PSDB. Caso mantenha o plano original de se candidatar ao governo de São Paulo, o escolhido deve ser o PSD. Se a decisão for pelo posto de vice de Lula, a sigla será PSB.

A segunda opção seria um gesto do partido a Lula, que esperaria em retribuição um apoio a Marcio França para o governo do estado.

De acordo com interlocutores de Alckmin, ele está balançado entre ser candidato a governador de SP ou a vice-presidente na chapa de Lula.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna